Províncias

Projecto de energia no Bocoio com empresários sul-africanos

Empresários sul-africanos vão investir, ainda este ano, no domínio de energia eléctrica no município do Bocoio, a 102 quilómetros a nordeste da cidade de Benguela.

Nos próximos tempos poderá ser instalada na região uma indústria de sumo de abacaxi para evitar que o produto se deteriore no campo
Fotografia: Francisco Bernardo

Empresários sul-africanos vão investir, ainda este ano, no domínio de energia eléctrica no município do Bocoio, a 102 quilómetros a nordeste da cidade de Benguela.
O administrador municipal adjunto do Bocoio, João Herculano Neto, que ontem prestou a informação à Angop, disse que os empresários vão intervir na reabilitação das duas turbinas hidroeléctricas das antigas fazendas agropecuárias de Manducha e da povoação de Fasil.
No último fim-de-semana, técnicos da Empresa Nacional de Electricidade (ENE) e sul-africanos procederam a um estudo de viabilidades e ao levantamento das principais necessidades, no município.
João Neto garantiu que, com a habilitação das duas turbinas hidroeléctricas, os munícipes beneficiarão de energia eléctrica de qualidade 24 sobre 24 horas. No futuro, acrescentou, o projecto vai permitir a criação de indústrias transformadoras no município, através do aumento da produção de abacaxi na comuna de Monte-Belo.
Sebastião António, antigo deputado da Assembleia Nacional pela bancada parlamentar do MPLA, que acompanhou a comissão técnica, louvou a iniciativa "que vai contribuir para o desenvolvimento da região". Os empresários sul-africanos e angolanos têm já um projecto que visa implantar nos próximos anos uma indústria de sumo de abacaxi na comuna do Monte-Belo. O objectivo é evitar a deterioração da fruta que os camponeses locais produzem. Actualmente, a população do município do Bocoio beneficia da energia eléctrica produzida pelos grupos geradores instalados pela administração municipal.

Tempo

Multimédia