Províncias

Protecção do flamingoé defendida no Lobito

Jesus Silva | Lobito

A Associação dos Defensores e Amigos do Ambiente (ADAMA), em parceria com a Direcção Municipal de Educação do Lobito, promoverum concurso de pintura, denominado “O Flamingo”, no âmbito do projecto de protecção da espécie e do programa de advocacia ambiental.

Fotografia: Jaimagem

O projecto, que visa a reabilitação da vala de céu aberto do bairro do Cassai, conta com o financiamento do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). Outro objectivo é recuperar o ecossistema das lacunas do mangal do Lobito.
O administrador municipal do Lobito, Alberto Ngongo, disse que as crianças necessitam de saber mais sobre o ambiente que nos rodeia e ter um maior domínio do flamingo, ave que é o símbolo da cidade.
Segundo Alberto Ngongo, a Administração Municipal do Lobito proibiu a pesca nos mangais da cidade, uma vez que “o flamingo é uma ave que gosta de bastante sossego e não gosta que o seu habitat seja violado”. O administrador incentivou os estudantes a serem activistas e fiscais na protecção da espécie. />O concurso contou com a participação de quatro escolas do município e foi ganho por  Djeila Carmelino. Em segundo lugar ficou Eduardo Faria ena terceira Carlos Serralheiro. Os vencedores foram contemplados com telefones e bicicletas. Para o próximo ano prevê-se a participação de mais escolas.
O secretário-geral da Associação dos Defensores e Amigos do Ambiente (ADAMA), Joaquim Pedro Teixeira, sublinhou que o projecto incluieste ano a protecção das espécies migratórias que chegam a esta região.
No âmbito da requalificação da cidade do Lobito, a ADAMA fez chegar ao Governo Provincial de Benguela um memorando onde consta a prioridade na preservação do flamingo e outras espécies marinhas existentes na região.

Tempo

Multimédia