Províncias

Quadros devem assumir atitude de responsabilidade no trabalho

O director provincial da Educação, Ciência e Tecnologia de Benguela, Joaquim Pinheiro, exortou na sexta-feira, naquela cidade, os técnicos do sector a empenharem-se na construção de um desenvolvimento profissional, assumindo uma nova responsabilidade e atitude no trabalho.

Profissionais do sector da Educação em Benguela são chamados a dar uma formação de qualidade às novas gerações
Fotografia: Jornal de Angola

O director provincial da Educação, Ciência e Tecnologia de Benguela, Joaquim Pinheiro, exortou na sexta-feira, naquela cidade, os técnicos do sector a empenharem-se na construção de um desenvolvimento profissional, assumindo uma nova responsabilidade e atitude no trabalho. 
O responsável, que falava durante o acto de encerramento da formação pedagógica inicial de formadores, promovida pela direcção provincial da Educação e orientada pelo grupo da Cooperativa do Ensino Superior, Politécnico e Universitário (CESPO), referiu que a selecção e a pré-candidatura para os formandos teve como objectivo apurar um grupo de técnicos com maior e menor experiência no ensino e na formação da educação, para que o governo possa ter um núcleo de formadores fortes.     “Sabemos que o sector da Educação é chamado a grandes responsabilidades para formar novas gerações, o que não é simples, porque não basta ter uma licenciatura ou um curso médio para nos considerarmos profissionais”, disse.  
Na sua opinião, a dinâmica da vida, exigências profissionais e a velocidade com que as tecnologias debitam cada vez mais informação e conhecimentos no dia-a-dia, obriga todos profissionais a actualizarem-se permanentemente, superando os conhecimentos e desenvolvendo novas competências.  
A directora-geral da Cooperativa do Ensino Superior, Politécnico e Universitário (CESPO), Márcia Martins de Moura, disse que esta formação representa a concretização do trabalho que, ao longo de muitos anos, tem vindo a desenvolver em prol de uma melhor educação em Angola.    “O futuro mostrará grandes oportunidades, mas este percurso terá de ser trabalhado, para se poder atingir os objectivos, a consciência do esforço do caminho do sucesso, que só será possível se todos partilharem da mesma força de vontade para fazer a diferença, imbuídos do espírito inovador e empreendedor”, frisou.
A ministra do Ensino Superior, Ciência e Tecnologia, Cândida ­Teixeira, mostrou-se, na quinta-feira, satisfeita com a qualidade das obras das novas instalações da Universidade José Eduardo dos Santos (UJES), localizadas no bairro Cambiote, a 10 quilómetros do centro da cidade do Huambo.
Falando durante o acto de assinatura do acordo que converteu a infra-estrutura erguida para acolher crianças desamparadas em propriedade da UJES, a governante salientou que a qualidade do imóvel satisfaz o investimento financeiro aplicado pelo Estado angolano.
Segundo Cândida Teixeira, que enalteceu a compreensão do Ministro da Reinserção Social por ter aceite que o imóvel fosse aproveitado pela Universidade José Eduardo dos Santos, o estabelecimento vai dar maior comodidade aos estudantes e professores e também conferir prestígio e dignidade à UJES.
“Qualquer estudante que venha para esta infra-estrutura sentirá, com certeza, vontade de cumprir com zelo e aplicação a sua tarefa. É muita responsabilidade que agora recai sobre a reitoria da UJES por, entre outros motivos, estar localizada numa região de tradição ­académica”, referiu. Numa primeira fase, as instalações vão servir as Faculdades de Economia e Direito e a direcção da Universidade José Eduardo dos Santos.
A infra-estrutura, subdividida em cinco edifícios de dois e três andares separados uns dos outros, comporta áreas administrativas, salas de aulas, laboratórios, dormitórios, áreas de lazer e desporto, refeitório, cozinha e moradia do administrador das instalações.
Está implantado numa superfície de 237.990 metros quadrados, dos quais 35 mil metros destinados a construção. 

Alfabetização em Cabinda

Um total de 155 alfabetizadores do município sede de Cabinda participa desde ontem e até ao fim do mês, num seminário de actualização de conhecimentos, promovido pela secretaria da Direcção Provincial de Educação Ciência e Tecnologia em Cabinda.
Segundo a secretária provincial da Educação, Ciência e Tecnologia, Berta Marciano, que presidiu à cerimónia de abertura, estes alfabetizadores vão apoiar o programa de alfabetização e aceleração escolar (PAAE), para sensibilizar a sociedade para a necessidade de aderir ao mesmo e reflectir sobre a importância de saber ler e escrever.
“Somente dotando de conhecimentos e superando os nossos formadores poderemos alcançar os objectivos do processo de ensino e aprendizagem e diminuir os níveis de analfabetismo no país”, disse.
 Durante o seminário serão ministrados temas como “A apresentação da escala dos conhecimentos iniciais”, “Aula entrevista”, “Relação com a fala e a escrita”, “O uso do alfabeto”, “Ambiente alfabetizador”, “A avaliação das aprendizagens”, entre outros módulos.
 De 2008 a 2010 foram inscritos no programa 34.379 alfabetizandos, dos quais 21.892 terminaram com êxito. Durante esse período, foram formados 367 alfabetizadores.
 Para o presente ano, foram alfabetizados no módulo I, que corresponde a 1ª e 2ªs classes do ensino geral, 3.566 cidadãos. Participaram do mesmo 249 alfabetizadores e 15 supervisores, em toda extensão da província.

Tempo

Multimédia