Províncias

Reabilitação de estradas avança no Lobito

A reabilitação e ampliação dos principais eixos rodoviários da zona urbana da cidade do Lobito, província de Benguela, vai estar concluída na primeira quinzena de Dezembro, garantiu o administrador municipal, Amaro Segunda Ricardo.

Projecto visa facilitar a livre circulação e o escoamento de produtos do campo para a cidade
Fotografia: Francisco Bernardo

A reabilitação e ampliação dos principais eixos rodoviários da zona urbana da cidade do Lobito, província de Benguela, vai estar concluída na primeira quinzena de Dezembro, garantiu o administrador municipal, Amaro Segunda Ricardo.
Em declarações à imprensa, o responsável considerou positiva a forma como estão a ser executadas as obras do troço que liga o centro da cidade à zona alta da urbe (Obelisco/bairro Africano), numa distância de mais de dois quilómetros.
Outra empreitada destacada foi a reparação dos dez quilómetros do troço que liga os bairros da Caponte ao da Luz.
As obras, de acordo com o administrador, consistem no alargamento da estrada, permitindo a abertura de quatro faixas de rodagem e passeios para peões.
As obras abarcam ainda a montagem e construção de tubagem para o escoamento de águas residuais e pluviométricas, colocação do sistema das telecomunicações e de energia eléctrica.
Além da reparação das principais vias, foi erguida uma ponte rodoviária sobre o mangal que liga os bairros da Caponte e Comercial.
Esta ponte vai servir para o escoamento do movimento rodoviário pesado do Porto Comercial do Lobito.
Em função da nova realidade da cidade, que conta com uma população estimada em mais de um milhão de habitantes e cerca de três mil viaturas, a administração municipal colocou nos últimos dias 500 sinais de trânsito.
Para o administrador do Lobito, com estas estruturas rodoviárias a cidade poderá registar fluidez de viaturas e livre circulação dos peões.

Comércio rural

A ministra do Comércio, Idalina Valente, anunciou o início da implementação, a partir de 2010, do Programa de Promoção do Comércio Rural (PPCR) na província de Benguela, cujo plano operativo vai ser elaborado até final de Dezembro próximo.
A ministra prestou a informação à Angop, em Benguela, à saída de um encontro com responsáveis do sector dos municípios do Balombo, Baía Farta, Bocoio, Caimbambo, Cubal, Chongoroi, Ganda e membros da Comissão Provincial Multissectorial para a implementação do PPCR.
Idalina Valente realçou que as metas preconizadas pelo programa fundamentam-se no escoamento dos produtos do campo para os centros urbanos do país, a fim de serem comercializados.
Salientou que o programa de comércio rural é uma das vias para os comerciantes regularizarem a sua situação, fundamentalmente os lojistas mais recentes e os que, provavelmente, tenham documentos fora de prazo.
Disse estar prevista, para Dezembro, a aprovação do regulamento de licenciamento e cadastro das actividades comerciais e de prestação de serviços, pelo Conselho de Ministros.
Idalina Valente manifestou a intenção de se instalar, em Benguela, um laboratório vocacionado ao controlo de qualidade alimentar e reactivar a estrutura homóloga no município do Lobito, que, numa primeira fase, vai fazer a análise das farinhas (trigo) a nível nacional.
Presente ao acto, o governador provincial, Armando da Cruz Neto, manifestou a sua satisfação pela escolha de Benguela para o lançamento do programa.

Tempo

Multimédia