Províncias

Religiosas prestam atenção às crianças do Centro Renascer

Jesus silva | Lobito

As irmãs Oblatas do Santíssimo Redentor, do Centro Renascer, da igreja Católica confraternizaram com meia centena de jovens e crianças na ponta da Restinga, Lobito, para terem uma passagem de ano feliz e com alegria.

Crianças atentas ao que o padre dizia durante um convívio
Fotografia: Jesus Silva

As irmãs Oblatas do Santíssimo Redentor, do Centro Renascer, da igreja Católica confraternizaram com meia centena de jovens e crianças na ponta da Restinga, Lobito, para terem uma passagem de ano feliz e com alegria.
O acto foi promovido pela esposa do governador da província de Benguela, Esmeralda da Cruz Neto e começou com uma missa em plena praia pelo pároco Severino Passagem, que na homília se debruçou sobre o combate à pobreza, à miséria e a todos os factores sociais que têm arrastado centenas de jovens para a delinquência e a prostituição. O padre considerou, que existem três natais: o comercial, o da exploração e o espiritual.
Amélia Alves, das Organizações Handanga, disse, que patrocinou a festa, disse que as camadas mais desfavorecidas da sociedade também merecem ter umas festas condignas, tal como as demais crianças e jovens.
Teresa Costa, em representação das Organizações Ship Shandler, disse que a sua empresa ofereceu lanches e brinquedos.
Dília Lopez, coordenadora do Centro Renascer, disse que o objectivo daquele acto simbólico foi levar alegria aos jovens e crianças da instituição, com confraternização, recreio e brinquedos, contando com o apoio de pessoas de boa fé que sempre se predispõem em apoiar momentos do género. “O nosso objectivo em 2011 é dar continuidade às nossas actividades e recuperar mais jovens mergulhados no mundo da delinquência e da prostituição, levando-as para o nosso centro, a fim de que possam aprender a fazer coisas úteis que lhes possam garantir o bem-estar no futuro”, disse a irmã Dília Lopez. O Centro Renascer trabalha há dez anos com crianças e jovens em risco. A recuperação, assenta na mudança das mentalidades, na alegria de viver e sobretudo na motivação: “os resultados que até agora obtivemos enchem-nos de orgulho e dão-nos forças para dar sequência ao trabalho”, disse a irmã Dília Lopez.
Os jovens e crianças do centro que se encontravam na praia, depois da missa entoaram cânticos religiosos e poemas, representaram peças de teatro, receberam presentes e confraternizaram com os activistas sociais do centro e patrocinadores.

Tempo

Multimédia