Províncias

Reparação de vias de acesso entre as prioridades locais

Jesus Silva | Lobito

A Administração Municipal do Lobito vai, a partir do próximo ano, incidir as suas acções na recuperação da via de acesso entre o bairro Africano e o município da Catumbela, na construção do mercado do Tchapanguele e na requalificação do bairro Académico.

Fotografia: Jaimagens

A garantia foi dada ontem, na cidade do Lobito, pelo administrador  municipal, Alberto Ngongo, na cerimónia de cumprimentos de fim de ano, quando apresentava o balanço do exercício económico de 2016, no que se refere ao desenvolvimento urbano e ordenamento da circunscrição.
Alberto Ngongo disse que, no quadro das acções, estão igualmente previstas a manutenção da escola comandante Valódia, a conclusão da estrada de acesso ao Egipto Praia e a requalificação do bairro Académico.
O administrador municipal considerou fundamental a recuperação da  via rápida Africano/Catumbela para permitir a mobilidade dos moradores dos bairros São João, Luz e Santa Cruz, mas lamentou que, por problemas financeiros, o arranque das obras tem conhecido vários adiamentos.
No domínio do desenvolvimento económico e social, a prioridade para o próximo ano, segundo o responsável, recai para a gestão dos mercados e feiras, uma forma que se encontrou para reorganizar a venda ambulante, que é agravada pelo atraso da construção da praça do Tchapanguele, que funcionará no Quintalão do Liro.
O mercado acolhe cerca de três mil feirantes que exercem a actividade em condições de higiene e sanitárias deploráveis.
Em relação à comuna do Egito Praia, disse que a administração municipal em parceria com o Instituto Superior Katiavala Buila trabalha na elaboração de um plano de desenvolvimento turístico. A ideia é aproveitar as potencialidades que a localidade oferece,  propícias para incentivar o turismo e o acervo histórico.
Alberto Ngongo explicou que, quanto ao plano habitacional e para se evitar a ocupação ilegal de terrenos, foram criadas novas urbanizações, tendo  sido  disponibilizados, na Palmares da Hanha, à população, dois mil lotes de terra, 433 dos quais numa  primeira fase.
No sector da Energia e Águas, o programa  “Água para Todos”  permitiu ao município no Lobito o aumento de 15 sistemas e 12 furos, que contemplam as comunas da Canjala, Egito Praia e Culango e atendem cerca de 20.500 beneficiários.
O administrador do Lobito disse que, em relação ao sector da Agricultura e Desenvolvimento Rural, houve um aumento na produção, tendo sido implementada nas localidades de Canjala, Culango e Egito a cultura do feijão.  

Tempo

Multimédia