Províncias

Valas de apoio à irrigação reabilitadas no Culango

Jesus Silva |Lobito

Duas valas de irrigação, com 12 e 20 quilómetros de extensão, foram reabilitadas na povoação do Culango, no âmbito de um acordo de cooperação entre o governo Japonês e a Associação para o Apoio ao Desenvolvimento Comunitário (AADC), visando combater a escassez de chuvas naquela região agrícola, da zona norte do município do Lobito.

Novas infra-estruturas permitem à população diversificar as culturas e melhorar a dieta
Fotografia: Jesus Silva

Duas valas de irrigação, com 12 e 20 quilómetros de extensão, foram reabilitadas na povoação do Culango, no âmbito de um acordo de cooperação entre o governo Japonês e a Associação para o Apoio ao Desenvolvimento Comunitário (AADC), visando combater a escassez de chuvas naquela região agrícola, da zona norte do município do Lobito.
As novas infra-estruturas são indispensáveis à sobrevivência das comunidades e custaram 92 mil dólares, financiados pelo governo do Japão. Vão beneficiar quatro mil pessoas, contribuindo para o aumento da produção agrícola com a intensificação da utilização da terra e reduzir a fome e a pobreza.
No acto de entrega do “Projecto de Reabilitação do Sistema de Irrigação do Culango”, Ayno Ioroi, consultora da Assistência Financeira de Projectos Comunitários da embaixada do Japão em Angola, disse que a infra-estrutura foi entregue dentro dos prazos estabelecidos e é uma forma do governo do Japão ajudar os camponeses.
As valas melhoram os sistemas de irrigação e permitem à população diversificar as culturas e melhorar a sua dieta alimentar.
Para a consultora da Assistência Financeira de Projectos Comunitários da embaixada do Japão, esta ajuda serve para colocar os agricultores numa situação de independência e dar os primeiros passos no que concerne à sua sustentabilidade, com o aumento da produção agrícola e dos rendimentos para ajudar as suas famílias.
O camponês Domingos Paulino Kalui, em nome dos beneficiários, salientou que a reabilitação do dique de captação de água para as valas dá a possibilidade de passar de uma situação de dependência para a autonomia económica e social, o que permite responder às necessidades alimentares da população, que aumentam as áreas de cultivo, em quantidade. O aumento da produção garante mais rendimentos provenientes das vendas.
“O sistema de irrigação vai melhorar as condições de vida e a integração social. A distribuição de água cria condições para um desenvolvimento sustentável a longo prazo e assegura a continuidade da assistência e manutenção da infra-estrutura reabilitada”, reconheceu Domingos Paulino Kalui.
As obras tiveram a duração de um ano e contaram com a participação da comunidade. O projecto responde aos objectivos da luta contra a pobreza e permite a redução da vulnerabilidade das populações do Culango porque vai mitigar as crises alimentares e melhorar as condições de vida.
O projecto visa a diminuição da insegurança alimentar a nível qualitativo e da diversidade de alimentos e permite uma melhor satisfação das necessidades familiares de base, saúde, educação e habitação.
“As nossas necessidades não terminam aqui, porque é necessário que a Administração Municipal do Lobito nos ajude a qualificar as valas que transportam as águas para os terrenos de cultivo, pois, com o aumento de volume de água ainda existem algumas roturas no percurso”, assegurou.
Agostinho Henrique, em nome da Associação para o Apoio ao Desenvolvimento Comunitário sublinhou que para a reabilitação das valas de irrigação do Culango, com base nos estudos iniciais, foi elaborado um plano de actividades e necessidades materiais, para solucionar um dos maiores problemas da população da localidade.

Tempo

Multimédia