Províncias

Benguela e Baía Farta substituem bombagem

António Gonçalves | Benguela

Os municípios de Benguela e Baía Farta estão privados de água potável, desde hoje até quarta-feira, devido a uma paralisação total do sistema de abastecimento da Estação de Tratamento de Benguela.

Projecto de reabilitação visa reforçar o abastecimento de água potável à população
Fotografia: António Gonçalves | Edições Novembro | Benguela

Segundo um comunicado de imprensa a que o Jornal de Angola teve acesso, a Empresa de Águas e Saneamento de Benguela refere que a paralisação deve-se a trabalhos técnicos de substituição do sistema de bombagem instalado em 1994.
De referir que, com a execução do Projecto de Reabilitação Urbana e Ambiental das cidades do Lobito e Benguela (PRUALB), o sistema de bombagem instalado na ETA-Benguela há mais de 23 anos já não conseguia fazer fase à demanda, o que estava a provocar constrangimentos no fornecimento de água à zona peri-urbana de Benguela, com destaque para a Zona B, e o município da Baía Farta.
Diante deste quadro, a Empresa de Águas e Saneamento da província de Benguela investiu num novo sistema de bombagem, para reverter o estado actual de insuficiências, que será instalado num período de três dias.
Segundo o comunicado de imprensa da Empresa de Águas e Saneamento de Benguela, três novas bombas, com capacidade de bombear 500 metros cúbicos de água por hora, serão instaladas.
A instalação do novo sistema de bombagem vai aumentar o volume de água aduzida para as zonas críticas, dos 800 metros cúbicos/hora para os 1000 metros cúbicos/hora, o que vai minimizar os efeitos de carência no abastecimento de água.

Tempo

Multimédia