Províncias

Benguela está apostada na redução de infecções

A redução de novas infecções, principalmente em crianças, e o aumento  da adesão ao tratamento do HIV/SIDA, com vista a diminuir a situação de prevalência do vírus na região,

Sociedade civil mobilizada em prol do combate à epidemia que tem provocado muitas vítimas
Fotografia: Santos Pedro

com a prevenção da transmissão vertical em gestantes, foram apontados ontem, em Benguela, como prioridades para este ano do programa de combate à doença na província, afirmou a supervisora do programa provincial de luta contra a epidemia.
Perpétua Chaluka Machado disse ser necessário melhorar os serviços a partir das unidades de saúde, reforçar as acções de formação para técnicos, promotores e  também alargar as campanhas de sensibilização da população. Para a supervisora, o desejável seria uma cobertura na ordem dos 100 por cento a gestantes seropositivas, no tocante ao tratamento e prevenção da transmissão vertical, bem como combater a discriminação das pessoas infectadas.
A supervisora do Programa  de Luta Contra o VIH/SIDA apelou ao uso do preservativo, para a mitigação da epidemia e de outras doenças sexualmente transmissíveis, uma vez que foram diagnosticados mais 603 novos casos positivos de HIV em mulheres e homens com idades entre os 25 e os 48 anos, entre os meses de Janeiro e Março deste ano, numa incidência de 3,5 por cento na província.
Dos 603 novos casos, apenas 337 pacientes receberam atendimento médico e, deste número, apenas 293 iniciaram de imediato o tratamento com retrovirais, o que perfaz 87 por cento, tendo o seu estado avançado da doença agravado pelo recurso tardio às consultas médicas.
Perpétua Chaluka defendeu a necessidade de o cidadão conhecer, em primeira instância, o seu estado serológico, como a primeira medida para a prevenção do vírus (VIH), pois, referiu que o importante na prevenção é o conhecimento prévio da condição serológica para se  evitar o tratamento imediato da doença. A especialista reconheceu que, apesar de o estado de prevalência epidemiológica do HIV/SIDA na província estar calculado em quatro por cento, mantendo-se  inalterável desde 2009, o sector continua a registar muitos óbitos, cujo número escusou-se a revelar.
Perpétua Chaluka Machado informou que, no mesmo período em análise, 17. 293 pessoas receberam aconselhamento antes da testagem do VIH  e 17.292  aceitaram fazer o exame laboratorial, tendo considerado estes indicadores satisfatórios.
Comparativamente ao mesmo período em análise do ano anterior, menos de 100 pessoas aceitaram fazer a testagem depois do aconselhamento.
A supervisora do Programa Provincial de Luta Contra o VIH/SIDA avançou que, no primeiro trimestre de 2016, 10.105 gestantes foram aconselhadas sobre o VIH/SIDA, onde 50 por cento efectuaram a testagem durante a consulta pré-natal, tendo o sector registado 136 novos casos positivos, das quais apenas 45 por cento de gestantes se submeteram ao programa de prevenção da transmissão vertical.

Tempo

Multimédia