Províncias

Benguela pretende evitar nova tragédia

Jesus Silva | Lobito

O governador provincial de Benguela, Isaac Maria dos Anjos inspeccionou, ontem, na cidade do Lobito, os trabalhos de limpeza e desobstrução das valas de drenagem e diques de protecção em vários bairros.

Governador provincial de Benguela (ao centro) constatou os trabalhos de manutenção das valas de drenagem na cidade do Lobito
Fotografia: Jesus Silva

As obras destinam-se a evitar que tragédias idênticas  às de Março voltem a acontecer, disse o director provincial das Obras Públicas, José Réguas, que acrescentou que neste momento ainda   é impossível efectuar-se um trabalho de engenharia com mais profundidade que requer revestimento das valas de drenagem, demolição de casas, construção de muros, realojamento da população e outros trabalhos, mas trabalha-se na criação de opções para o escoamento das águas pluviais.
O canal do bairro de Santa Cruz, junto ao campo do Buraco, não funciona devidamente por causa da deposição de resíduos sólidos necessitando, por isso, de um trabalho de limpeza e manutenção regular, explicou o director de projectos e infra-estruturas da Dar-Al-Shalan Angola, empresa envolvida na empreitada.
Ao longo do canal há quatro pontos de estrangulamento que, com base no projecto, vão ter que ser também tratados, para se conseguir a largura adequada do canal, disse Gilberto Mamede, que defendeu   criação de um canal paralelo a terminar na parte revestida junto à linha de caminho-de-ferro, assim como urge criar mais um canal paralelo ao já existente e que termine na parte revestida junto à linha do caminho-de-ferro para aumentar a capacidade de escoamento das águas pluviais.
Estão projectadas obras a montante e a jusante da Estrada Nacional 100, que liga as cidades do Lobito e Benguela e que estão a ser desenvolvidas com base no plano director da província no quadro do programa de macrodrenagem do Lobito.
“A médio e longo prazos é importante pensar na requalificação das áreas da zona alta de Santa Cruz ocupadas para evitar a infiltração de águas, pois é possível que a situação excepcional que se registou este ano naquele ponto não volte a acontecer nos próximos três ou cinco anos levando as pessoas a esquecerem os problemas”, advertiu o director de projectos e infra-estruturas da Dar-Al-Shalan Angola. que explicou que as comportas do mar do bairro da Cabaia é que vão controlar o plano de macrodrenagem do Lobito, que engloba todos os sistemas de drenagem, canais, valas, passagens hidráulicas, que vão permitir o escoamento mais controlado das águas das chuvas.
Gilberto Mamede  defendeu a desocupaçõ das zonas altas para facilitar os trabalhos drenagem pluvial e o revestimento em redor para evitar a criação de vegetação que impede a passagem  das águas.

 Nova escola

O governador Isaac dos Anjos lançou a primeira pedra para a construção de uma escola do I e II  níveis na área dos  Cabrais, onde estão a ser erguidas as casas para as  populações vítimas das chuvas de Março último e outras que viviam em diferentes zonas de risco de por inundações nos municípios do Lobito e Catumbela.

Tempo

Multimédia