Províncias

Bié regista 360 casos de sida em três meses

Mário de Carvalho | Cuito

Mais de 360 casos de VIH/Sida foram registados durante o primeiro trimestre do corrente ano na província do Bié, com dez óbitos, segundo o supervisor provincial do programa de prevenção e combate às infecções de transmissão sexual, Adelino Camato.

Fotografia: DR

Os novos casos, acrescentou, foram registados nos municípios do Cuito (192), Andulo (54), Camacupa (48), Nharêa (21), Cuemba (15), Chitembo (12), Catabola (9), Cunhinga (9) e Chinguar (1).
Actualmente, ainda de acordo com Adelino Camato, 344 pacientes fazem tratamento com retrovirais. As unidades sanitárias, referiu, têm medicamentos suficientes.
“Não temos nenhuma queixa de falta de medicamentos, pois o Instituto Nacional de Luta Contra o VIH está sempre disponível e a cada trimestre fornece os medicamentos necessários”, referiu.
Instado a pronunciar-se sobre a transmissão do vírus da Sida da mãe grávida para o filho, Adelino Camato salientou que os estados africanos uniram-se em torno do problema, que ganha proporções alarmantes, tendo as Primeiras-Damas assumido a liderança do projecto “Nascer livre para brilhar”.
“Este projecto tem como um dos objectivos reduzir, até 2022, a 50 por cento a taxa de transmissão de mãe para filho, mediante o corte vertical, e fazer com que 90 por cento das grávidas sejam testadas, acabando assim com o Sida pediátrico até 2030”, destacou.
Na província do Bié existem 215 serviços ao nível das unidades sanitárias, o que permite fazer um controlo e testagem para casos de sífilis, Hepatite B e C, bem como de VIH/Sida. O projecto “Nascer livre para brilhar” foi lançado, em todos os municípios, pela esposa do governador da província do Bié, Catarina Domingos Alfredo.

Tempo

Multimédia