Províncias

Administração municipal de Nharea manda construir empreendimentos

José Chaves | Nharea

A administração municipal de Nharea prevê, para o presente ano, construir vários empreendimentos sociais nos diferentes pontos da localidade, no quadro do programa municipal integrado de desenvolvimento e combate à pobreza.

Escolas e postos de saúde para melhorar a assistência constam entre as prioridades
Fotografia: Dombele Bernardo

A administração municipal de Nharea prevê, para o presente ano, construir vários empreendimentos sociais nos diferentes pontos da localidade, no quadro do programa municipal integrado de desenvolvimento e combate à pobreza.
Nicolau Sapalo, administrador municipal de Nharea, afirmou terça-feira que as acções vão traduzir-se em casas para as autoridades locais e quadros, escolas e postos de saúde com o objectivo de melhorar a vida da população desta zona do território nacional. Nicolau Sapalo disse que o município tem de melhorar as condições de acomodação de quadros no âmbito do programa municipal integrado de desenvolvimento rural e combate à pobreza.
No quadro dos serviços municipalizados de saúde também foram adquiridos meios e equipamentos que vão permitir uma melhor assistência sanitária às populações locais.
A maioria das infra-estruturas do município de Nharea encontra-se completamente destruída, fruto da guerra que assolou o país e em particular o município.  O conflito armado destruiu várias estruturas. As marcas deixadas pela guerra fratricida são visíveis a olho nu. Entretanto, são hoje evidentes os esforços desenvolvidos pelas autoridades governamentais na recuperação das estruturas.  
O município de Nharea situa-se 176 quilómetros a nordeste da cidade do Cuito, capital da província do Bié.
Tem uma superfície de 7.607 quilómetros quadrados e cinco comunas, a sede municipal, Gamba, Caieie, Dando e Lúbia.

Conselho da Família

  O Conselho da Família expressou quarta-feira na cidade do Cuito o papel actuante que coloca aquele núcleo no centro construtor do modelo de uma sociedade integral e coerente face aos desafios do resgate moral e cívico da população.
A constatação foi feita pelo administrador municipal no final do encontro preparatório do Conselho provincial da Família.
Moisés Cachipaco, que presidiu ao encontro, apelou à eficácia dos chefes de família e instituições vocacionadas para a educação.
O administrador defendeu também a interdependência familiar com vista a preservar os elementos fundamentais da vida.
De acordo com o responsável, é no núcleo familiar que se constitui o primeiro grupo de referência educacional e que contribui para a edificação de normas e valores que conduzem a uma sociedade salutar no processo de desenvolvimento e estrutura de uma personalidade infanto-juvenil, realçou.
Temas como “A família face aos desafios da globalização”, “Processo de moralização familiar e da sociedade” e a “Lei da probidade” constaram dos assuntos em debate.

Tempo

Multimédia