Províncias

Adventistas mudam comportamentos

Delfina Vitorino | Cuito

Os clubes dos “desbravadores”, aventureiros, juvenis e embaixadores da Igreja Adventista do Sétimo Dia, na província do Bié, vão redobrar as acções que visam a melhoria ou mudanças significativas no comportamento da sociedade, principalmente dos jovens.

Durante a cerimónia de abertura do ano lectivo, ocorrida no pavilhão da escola pré-universitária “Rei Ndunduma”, no Cuito, os jovens e adolescentes juraram fazer todos os esforços para que o espírito de tolerância, o amor ao próximo e o perdão se façam sentir cada vez no seio das comunidades.
A abertura do ano lectivo consiste na progressão das actividades de divulgação da doutrina cristã, ajudar as entidades governamentais a executar as suas acções e campanhas de sensibilização contra a Sida.
Reconhecendo o número elevado de infectados pelo vírus da Sida no Bié, a juventude adventista assegura fazer a diferença no comportamento e ajudar quem necessita de ajuda, levando a mensagem da vida a todas as localidades da província.
As acções de doação de sangue nas diversas unidades hospitalares, plantação de árvores, campanhas de limpeza em várias sedes municipais, sensibilização sobre o tratamento dos alimentos e da água são outras actividades que fazem parte do programa da juventude adventista do sétimo dia.

Educação de base


Para o presidente dos clubes adventistas no Bié, Bento Cachapile, a criação destas estruturas de jovens está relacionada com a dinâmica da sociedade e a igreja não pode estar excluída dos factos que ocorrem nas comunidades.  A Igreja Adventista do Sétimo Dia desenvolve actividades para todas as idades, com o objectivo de contribuir para o crescimento organizado das pessoas e obter frutos positivos no futuro, por meio da educação de base.
Os clubes dos “aventureiros” abrangem crianças até aos dez anos e visam orientar a realização de actividades básicas desde a higiene pessoal às normas de convivência na escola, na igreja e em casa.
Os adolescentes, designados “desbravadores” (dos 11 aos 18 anos) são integrados em actividades que visam a preservação do Ambiente e a doação de bens a instituições de caridade na região.
Os jovens e embaixadores, com idades entre os 19 e os 30 anos, são mobilizados para actividades de doação de sangue em diversos hospitais da província do Bié e campanhas de envangelização.

Tempo

Multimédia