Províncias

Alunos ajudam escola na compra de material

Delfina Victorino | Cuito

Os alunos que frequentam o Instituto de Formação Profissional do Bié têm  de comprar todos os materiais que utilizam nas aulas práticas, porque a instituição se debate com dificuldades de toda ordem, disse ontem o  vice-governador para área Política, Social e Económica, Carlos da Silva, no final de mais um curso, onde foram outorgados mais de 500 diplomas.

Estudantes têm de levar material para as aulas práticas
Fotografia: Nilo Mateus | Edições Novembro

Carlos da Silva disse que, as dificuldades que assolam o instituto profissional do Bié “é uma  situação decorrente da actual condição financeira do país”, daí  as pessoas que se propõem estudar naquela instituição devem compreender que têm de fazer um esforço . O governante enumerou uma série  de dificuldades que atrapalham o normal funcionamento da instituição, como a falta de recursos financeiros para pagar salários dos professores e dos colaboradores e comprar material para as aulas práticas, assim como  as constantes falhas de energia eléctrica  e a degradação  da infra-estrutura. “O centro tem imensas dificuldades , mas que são próprias da conjuntura do pais.    
O centro  lecciona os cursos de alvenaria, carpintaria, bate-chapa, canalização,  costura, serralharia, electricidade de baixa tensão, informática, mecânica, electrónica entre outras disciplinas .
Por seu lado, a directora provincial da Administração Pública Emprego e Segurança Social no Bié, Faustina Eianga,  informou que no presente ano lectivo foram inscritos 1. 168 jovens, dos quais 835  concluíram a formação a que se propuseram.
A província do Bié tem centros de formação profissional nos municípios do Cuito,  Andulo e Nharea.

Tempo

Multimédia