Províncias

Aulas de alfabetização chegaram a mil adultos

José Chaves| Andulo

O responsável da repartição municipal da Educação no município do Andulo, António Caliqui, disse que durante o ano passado aprenderam a ler e a escrever mil adultos de ambos os sexos, através do Programa de Alfabetização e Aceleração Escolar (PAAE) e outros métodos de ensino.

Alfabetização continua a ser aposta do Governo e muitos adultos têm aderido ao projecto
Fotografia: Jornal de Angola

O responsável da repartição municipal da Educação no município do Andulo, António Caliqui, disse que durante o ano passado aprenderam a ler e a escrever mil adultos de ambos os sexos, através do Programa de Alfabetização e Aceleração Escolar (PAAE) e outros métodos de ensino.
António Caluqui disse ao Jornal de Angola que o processo de alfabetização envolveu 40 alfabetizadores e as populações aderiram em massa. A grande contrariedade foi a falta de espaços principalmente no meio rural. Para resolver esta situação, este ano lectivo vão ser construídas novas salas e jangos comunitários. Para as aulas nocturnas a administração vai adquirir geradores e painéis solares a fim de facilitar a inclusão de mais cidadãos no processo de alfabetização.
A repartição municipal vai contar este ano com 30 televisores para o método de tele-ensino. O responsável da educação no Andulo considera positivo o envolvimento na alfabetização das autoridades administrativas, religiosas e da sociedade civil, “que deram a sua contribuição moral e material”. António Caliqui convida todos os actores a contribuírem para a erradicação do analfabetismo e ajudarem o nosso país a alcançar as metas da Conferência de Dakar, sobre educação.

Alfabetização em Nharea

Mais de 600 adultos foram alfabetizados no município de Nharea, durante o ano lectivo de 2010, anunciou Barros Etandi, coordenador Municipal da Educação municipal. Para o presente ano lectivo, as autoridades locais pretendem atingir todas as comunas.
A Administração Municipal adquiriu 1500 chapas de zinco para a cobertura de espaços, onde vão ser ministrados os cursos de alfabetização e aulas normais a crianças que ainda se encontram fora do sistema oficial de ensino.
Barros Etandi disse que as chapas foram usadas na cobertura de 27 escolas construídas com material rudimentar (adobe e pau a pique), o que vai diminuir o número de alunos que se encontram fora do sistema normal de ensino.

Acidente com mina

Um camião de Marca Kamaz, que circulava no troço entre a comuna de Cayeye e a sede municipal de Nharea accionou uma mina na povoação de Catoca. O incidente provocou ferimentos graves nos dois ocupantes da viatura.
Os feridos, depois de terem recebido os primeiros socorros no Hospital Municipal do Andulo foram evacuados para o Cuito, onde estão a receber tratamento médico no Hospital Provincial do Bié.
O comandante municipal da polícia nacional de Nharea, Valdemar Luís Dimas, disse que a via é considerada altamente perigosa, por estar minada.
O município de Nharea foi muito castigado pela guerra.
Aldemar Dimas aconselha os automobilistas a não utilizarem vias suspeitas: “devem todos circular apenas nos troços em que circulam a maioria das viaturas para evitar acidentes idênticos”.
 O oficial da polícia referiu que a solução imediata passa pelo isolamento dos campos suspeitos e pela sensibilização das populações sobre os riscos que as minas representam.
As autoridades administrativas do município de Nharea estão preocupadas com a circulação de pessoas e bens em zonas suspeitas de minas e outros engenhos explosivos.
O Bié é uma das zonas do território nacional onde se encontram vários campos minados.    

Tempo

Multimédia