Províncias

Aumentam os casos de fuga à paternidade

Delfina Vitorino |Cuito

A directora local da Família e Promoção da Mulher, Carolina Vihemba Isaac, disse ontem que durante o primeiro trimestre foram registados 33 casos de fuga à paternidade, em diversos municípios da província do Bié.

De acordo com a responsável do Ministério da Família e Promoção da Mulher (MINFAMU), 11 casos foram já solucionados, enquanto os restantes foram encaminhados para a Procuradoria-Geral da República.
Para reduzir o número de pais que fogem às suas responsabilidades, a Direcção da Família e Promoção da Mulher tem realizado palestras nas igrejas e escolas. A realização de Conselhos Municipais e Provinciais é também uma actividade aproveitada para a sensibilização das pessoas, visando a diminuição de casos de violência doméstica na região.
As actividades de sensibilização decorrem sob o lema “O papel da família na prevenção de condutas desviantes”. O vice-governador para a Esfera Política e Social, Carlos Ulombe da Silva, disse que as famílias devem rever as normas de conduta social, de forma a estancar os casos de fuga à paternidade que ocorrem na sociedade. Durante a abertura da Jornada da Família, que ocorreu no Centro Cultural Doutor António Agostinho Neto, no Cuito, Carlos Ulombe da Silva explicou que a atitude de muitos pais deixa muito a desejar.
Em relação ao Censo Geral da População, o vice-governador do Bié para a Esfera Política e Social disse que é necessária a divulgação e informação correcta do processo.
A deturpação na informação por parte de determinadas pessoas sobre o processo de recenseamento, lembrou, tem preocupado as entidades governamentais da província.
Para o êxito da realização do Censo Geral foi feita a formação dos assistentes técnicos municipais, que tiveram a responsabilidade de formar os assistentes e recenseadores.

Tempo

Multimédia