Províncias

Autoridades sanitárias da província empenhadas no combate à Malária

O chefe do departamento de saúde pública e controlo de endemias na província do Bié, afirmou, na quarta-feira, no Kuito, à Angop, que as autoridades sanitárias locais “estão seriamente empenhadas no combate à malária” para a reduzirem os índices de mortalidade.

A aposta é a redução do índice de mortalidade nas comunidades rurais
Fotografia: jornal de angola

O chefe do departamento de saúde pública e controlo de endemias na província do Bié, afirmou, na quarta-feira, no Kuito, à Angop, que as autoridades sanitárias locais “estão seriamente empenhadas no combate à malária” para a reduzirem os índices de mortalidade.
 Enoque Chivala disse que a Direcção de Saúde, em parceria com a Organização Mundial da Saúde (OMS) e outras instituições que operam na região, desenvolve várias acções, como a distribuição regular de anti palúdicos e de mosquiteiros impregnados, além de preparar técnicos.
 Essas medidas, esclareceu, visam diminuir o índice de morbi mortalidade na população do Bié, principalmente em crianças, gestantes e todas as mulheres em idade fértil. Enoque Chivala anunciou que está a ser feito, por um grupo de médicos cubanos, um levantamento das áreas mais afectadas da província e que vão realizar-se campanhas de pulverização nas zonas de maior concentração populacional.
 A malária continua a liderar o número de óbitos no Bié, sublinhou, referindo que no primeiro semestre deste ano, foram registados 151.631 casos, que causaram a morte de 393 pessoas, maioritariamente crianças, com menos de 5 de cinco anos.
Enoque Chivala garantiu que a delegação do Ministério da Saúde no Bié prossegue com sensibilização da população, no intuito de se acabarem com os charcos de água e evitar-se a plantação de bananeiras em quintais. /> 
VIH/Sida

        O director da saúde no Bié disse, no Kuito, à Angop, não haver registo, nos últimos anos, de casos de discriminação de seropositivos, quer nas empresas, estatais e privadas, quer no seio da população
José Augusto Gonçalves afirmou que decorre, satisfatoriamente, a distribuição de retro virais, no Kuito e no Andulo, bem como o programa de corte vertical.
Nas várias instituições sanitárias do Bié foram registados, desde 2005, 1.281 casos de seropositivos. No mesmo período, 35.281 pessoas realizaram o teste voluntário do VIH/Sida.
José Gonçalves anunciou que, naquele mesmo espaço de tempo, houve 78 mortes causadas pela doença. O Bié tem 15 Centros de Aconselhamento e Testagem Voluntária (CATV) e sete salas de partos, equipadas com meios para o corte vertical, nas circunscrições de Andulo, Kamacupa, Chinguar, Chitembo, Kunhimga e Kuito.
José Augusto Gonçalves mostrou-se satisfeito com a entrada em funcionamento de cinco clínicas móveis destinadas aos Serviços de Aconselhamento e Testagem Voluntária da doença.
As unidades hospitalares móveis, que funcionam com quatro técnicos, estão equipadas com meios modernos de testagem da Sida.No Bié, as pessoas mais afectadas pela Sida têm entre 29 e 39 anos e são, sobretudo, mulheres. Campanhas de sensibilização decorrem na província, sobretudo emlocais de maior concentração de pessoas, para se evitar a propagação da doença.

Tempo

Multimédia