Províncias

Aviões e comboio mudam a província

Delfina Vitorino | Cuito

A recuperação do Caminho-de-Ferro de Benguela (CFB) e a remodelação das instalações e da pista do aeroporto do Cuito, paralisados há mais de 30 anos, são considerados pela população como os principais frutos da Paz.

O comboio está a facilitar a livre circulação de pessoas e bens e as trocas comerciais
Fotografia: Delfina Vitorino | Cuito

Quando o primeiro comboio entrou na estação do Cunje, município do Cuito, o ministro dos Transportes, Augusto Tomás, disse que tinha acabado de chegar o “Comboio da Vitória”.
A entrada em funcionamento do “Comboio da Vitória” para passageiros e cargas, entre as cidades do Lobito, Benguela, Cubal, Ganda, Huambo, Cuito e Luena é um dos frutos da Paz, afirma a população.
O aeroporto Joaquim Kapango, na cidade do Cuito, com uma nova pista de 2.750 metros de comprimento e 60 de largura, foi reaberto em 2009, pelo ministro dos Transportes, Augusto Tomás.
Os aviões da TAAG operam três vezes por semana para a cidade do Cuito e o aeroporto está equipado para receber voos durante o período da noite.
O Caminho-de-Ferro de Benguela foi inaugurado há menos de dois anos pelo ministro dos transportes Augusto Tomás, no âmbito do projecto de reabilitação e modernização do CFB.
Filomena José, de 38 anos, professora do ensino secundário no Cuito, disse que, apesar de algumas dificuldades, é preciso reconhecer os esforços feitos: “só quem viveu a guerra do Cuito conhece o significado profundo da Paz e aprecia as condições que hoje temos”.
António Francisco, de 30 anos, estudante do ensino superior, viveu momentos de terror: “ durante a guerra nunca sabíamos o dia de amanhã”. O estudante viveu no Cuito os momentos mais difíceis da sua vida: “na altura era adolescente, mas as cicatrizes ainda permanecem na minha memória”.
Durante os 12 anos de Paz, a cidade do Cuito ganhou uma nova imagem. Foram abertas agências bancárias, hotéis, as ruas foram asfaltadas. O fluxo de pessoas aumentou consideravelmente nos últimos anos na cidade do Cuito, com o regresso dos deslocados e que depois da paz começaram a regressar para ajudar no desenvolvimento da província.
Os administradores do município de Catabola, Antunes Sapalo, e de Camacupa, Alcida de Jesus Camateli, reconhecem o trabalho dos agricultores e eficiência dos comboios no transporte dos produtos locais.
Antunes Sapalo acentuou que o escoamento dos produtos agrícolas para diversas regiões aumentou com a recuperação do Caminho-de-Ferro de Benguela.
O administrador lembrou que as obras de reabilitação e modernização do CFB só começaram em 2008, visando facilitar a circulação de pessoas e bens.
O crescimento gradual na melhoria da qualidade de vida da população do município de Catabola tem sido possível devido ao escoamento de produtos agrícolas e outras mercadorias.
A administradora do município de Camacupa, Alcida de Jesus Camateli, disse que dentro de poucos anos as vias terciárias ficam reabilitadas.
Percinda Vitorino, enfermeira há 20 nos, agora consegue comprar tudo o que precisa e a custos mais baixos desde que o “Comboio da Vitória” voltou a circular em Camacupa.

Tempo

Multimédia