Províncias

BFA apoia Cunhinga contra a desnutrição

Delfina Victorino |Cuito

O Banco de Fomento Angola (BFA) vai apoiar , com 600 mil dólares, o Programa do Governo da província de Combate à Desnutrição de Crianças Menores de Cinco Anos, no município do Cunhinga, onde existem mais de 90 crianças afectadas pela doença, segundo a administradora local, Carolina Isaac.

BFA assinou contrato para financiar a Saúde em?Cunhinga
Fotografia: Edson Fabrizio | Edições Novembro| Cuito

O facto foi confirmado ontem durante a assinatura de um acordo, na cidade do Cuito, que contou com a presença da ministra da Saúde, Sílvia Lutucuta, e o presidente da Comissão Executiva (CE) do BFA, Jorge Ferreira.
A ministra disse que o acordo tem grande significado, atendendo que se regista um aumento de casos de desnutrição infantil no país, salientando que a doença no Bié está ligada ao consumo reduzido ou excessivo de nutrientes.
Sílvia Lutucuta disse que a Organização Mundial da Saúde (OMS) considera a desnutrição como a maior ameaça no sistema de saúde pública mundial.
Segundo a ministra, em 2017 o Bié registou mil e 878 casos de malnutrição, enquanto que em 2018 teve dois mil e 339 , “dados que preocupam as entidades do sector da Saúde”. De Janeiro a Setembro do ano em curso, informou ainda, a província teve mil 833 casos de crianças desnutridas com idades compreendidas entre os seis meses aos dois anos.
Sílvia Lutucuta fez saber que no Bié as crianças menores de cinco anos, adolescentes e mulheres grávidas e as que estão a amamentar também podem ser consideradas vulneráveis. “Estes dados reforçam a importância do memorando assinado entre o BFA e o Ministério da Saúde, que vai permitir reduzir os casos de malnutrição aguda e crónica em crianças no Bié”, acrescentou.

BFA tem projectos para criança

Por seu lado, o presidente da Comissão Executiva do BFA disse que a estratégia dos projectos sociais da sua instituição está focada “principalmente na criança”.
Jorge Ferreira frisou que os sectores da Saúde, Educação e a área de Inclusão Social fazem parte das prioridades de financiamento do BFA .
“Uma parte dos lucros dos accionistas do banco são transferidos para o fundo social do próprio banco, que actualmente possui um valor de 40 milhões de dólares , valor que tem sido movimentado ao longo dos anos, assegurou, Jorge Ferreira.

Tempo

Multimédia