Províncias

Bié aposta na formação de mais técnicos agrários

José Chaves|Andulo

Ao todo  944 técnicos, 610 médios e 334 básicos, foram formados pelo Instituto Médio Agrário do Andulo, desde a abertura em 2008, nas especialidades de mecanização agrícola, produção animal e vegetal.

Parte frontal do instituto que já formou centenas de jovens
Fotografia: DR

De acordo com o director da instituição, António Sicato, para dar mais conhecimentos aos estudantes, têm aliado as aulas teóricas aos exercícios práticos nos campos agrícolas.
Acrescentou que parte dos 944  técnicos saídos do Instituto Médio Agrário do Andulo estão a assegurar o funcionamento de muitos projectos agrícolas, com destaque para as fazendas do Wako-Kungo, província do Cuanza-Sul, e Pungo Andongo, em Malanje.
Realçou que a direcção do instituto tem acompanhado o desempenho dos finalistas nos seus locais de trabalho e o rendimento académico dos que prosseguem a formação na Faculdade de Ciências Agrárias do Huambo.
“Para o Instituto Médio Agrário é uma grande satisfação ver os seus alunos terem sucesso e a corresponderem aos anseios do Executivo, de termos jovens bem formados e a contribuírem para o processo de desenvolvimento do país”, afirmou.
Criado em 2008 e com capacidade para 1.440 alunos, a instituição dispõe de laboratórios de Física, Química, Biologia, Informática Multimédia e Zootecnia. A par das aulas teóricas, os estudantes recebem aulas práticas ministradas em campos agrícolas por eles cultivados e num aviário para a produção animal.
A instituição tem internato, o que permite receber jovens de todo o país, que vão à procura de formação de qualidade.  O director do Instituto Médio Agrário do Andulo afirmou que a instituição carece de obras de reabilitação, porque o internato apresenta várias fissuras, o que tem prejudicado no alojamento de estudantes externos.
A falta de condições financeiras é outro problema que a instituição enfrenta, criando deste modo vários constrangimentos para o seu pleno funcionamento. Devido a estes constrangimentos, a instituição  tem reduzido nos últimos anos o ingresso de alunos, essencialmente no regime de internato.

Tempo

Multimédia