Províncias

Bié no trilho do desenvolvimento

Delfina Victorino e Sérgio V.Dias | Cuito

A livre circulação de pessoas e bens, a reabilitação de estradas, escolas, hospitais e centros administrativos, resultam da paz que o país alcançou há dez anos. O Bié, a martirizada província do Planalto Central, está, também, no caminho do desenvolvimento.

Reabilitação e construção de infra-estruturas de impacto social estão a melhorar o nível de vida da população e a imagem da região
Fotografia: Edson Fabrízio|cuito

A livre circulação de pessoas e bens, a reabilitação de estradas, escolas, hospitais e centros administrativos, resultam da paz que o país alcançou há dez anos. O Bié, a martirizada província do Planalto Central, está, também, no caminho do desenvolvimento.
A reabilitação do Caminho-de-Ferro de Benguela (CFB), do aeroporto do Cuito, que ficou fora dos serviços longos anos, e o Programa Águas para Todos figuram entre as grandes obras que servem as comunidades. Existem muitas obras a decorrer em toda a província, que uma vez concluídas contribuem para o desenvolvimento da região.
A população deixou para trás as marcas da guerra.
Várias infra-estruturas sociais vão sendo construídas e outras reabilitadas, no quadro do Programa de Investimentos Públicos (PIB).
 O governador provincial do Bié, Boavida Neto, disse à nossa reportagem que vai continuar a trabalhar na melhoria das condições de vida da população, visando combater a pobreza.  Boavida Neto disse que as acções vão incidir na reabilitação das vias de acesso, sistemas de distribuição de água e energia, na melhoria dos serviços de saúde, educação e agricultura.
 
Regresso do comboio

Entre as obras em curso nos diferentes municípios da província destacam-se a construção dos 200 fogos habitacionais, que vão ajudar a minimizar o grande défice que a população enfrenta nesse domínio. O regresso do comboio ao Bié, depois de mais 30 anos de paralisação, é apontado pela população da província como uma das grandes conquistas dos dez anos de paz.
O regresso efectivo ocorreu a 22 de Junho, logo a seguir à inauguração da estação do Cunge, a sete quilómetros da cidade do Cuito. Iolanda Dias, estudante de 28 anos, expressou a sua satisfação pelo regresso do comboio, porque “vai facilitar a circulação de pessoas e bens”. A jovem acrescentou que “o Bié passa a ter uma nova opção, em termos de transportes, para ligação com outros pontos do país”. Felisberto Cassinda disse que o regresso do comboio ao Bié “traduz um grande ganho para a província”.  Henrique Albino, o representante do CFB na província do Bié, afirmou que “o comboio vai facilitar o transporte de pessoas e bens”.

Educação e saúde

Depois de ter chegado ao Bié, a próxima paragem é a província do Moxico, já em Agosto próximo, uma garantia dada pelo ministro dos Transportes, Augusto da Silva Tomás. No domínio do ensino, a província do Bié também testemunhou avanços significativos.
Escolas do ensino primário, de base e médio vão surgindo por todo o lado, permitindo reduzir o número de alunos fora do sistema normal de ensino e aprendizagem.
No ensino superior, a Escola Pedagógica e a Escola Politécnica são as duas instituições estatais existentes na província. No ramo da Saúde, o Hospital Provincial , os centros materno infantis e as várias unidades sanitárias espalhadas pela região fazem a diferença no atendimento à população da região.

Tempo

Multimédia