Províncias

Bié tem centros ilegais de formação profissional

Delfina Victorino| Cuito

A província do Bié está a registar a expansão de centros ilegais de formação profissional em muitas localidades, afirmou no Cuito a directora do Instituto Nacional de Formação Profissional (INEFOP).

Cursos técnicos do INEFOP
Fotografia: Edições Novembro |

Ester Faria disse que a existência de centros ilegais de formação profissional ou de forma aleatória pode indiciar práticas ligadas à extorsão de valores.
A responsável do INEFOP sublinhou que a instituição tem estado a sensibilizar a juventude no sentido de não aderir aos centros que só aparecem nos finais de cada ano, sob pena de verem a sua formação técnico-profissional sem reconhecimento oficial.
Sem avançar o número e os nomes dos centros nesta condição, Ester Faria disse que o problema tem sido identificado quando os utentes procuram o INEFOP para a homologação dos referidos certificados.
Apenas dois centros privados estão aptos para ministrar cursos de formação profissional, designadamente o Ressot e o Chamuanga, que estão localizados no centro da cidade do Cuito, e está a decorrer o processo de legalização de mais um, denominado Flenege.
Ester Faria esclareceu que as entidades empregadoras e pequenos empreendedores devem procurar o INEFOP antes de matricularem alunos para frequentarem cursos técnico-profissionais. A directora do INEFOP no Bié sublinhou a necessidade de os responsáveis de centros privados profissionais reconhecidos actualizarem as credenciais, sob pena de verem os seus estabelecimentos encerrados.
O INEFOP administra centros e pavilhões de artes e ofícios, bem como unidades móveis nos municípios do Cuito, Camacupa, Andulo e Nharêa. Muitas mulheres aderiram ao programa de formação no sentido de obterem competências no ramo empresarial. Ester Faria sublinhou a necessidade de haver mais cooperação entre os empregadores e os centros de formação profissional.
Sem precisar o número de jovens empreendedores inscritos no INEFOP, assegurou que existem muitos formandos que desenvolvem negócios de pequena dimensão em vários municípios da província.  O INEFOP realiza cursos de informática, carpintaria, serralharia, alvenaria, contabilidade, culinária, mecânica, electricidade, electrónica e canalização.

Tempo

Multimédia