Províncias

Bié trava conflitos laborais

Delfina Victorino| Cuito

A Direcção Provincial da Administração Pública, Trabalho e Segurança Social do Bié desenvolve uma série de acções destinadas a evitar os conflitos laborais, confirmou ao Jornal de Angola o inspector-adjunto da Inspecção Geral do Trabalho.

Um ângulo do Cuito onde estão a ser traçadas novas estratégias para que os conflitos laborais na região comecem a diminuir
Fotografia: Divulgação

Vassili Agostinho disse ser fundamental que os responsáveis de empresas tenham em conta a celebração de determinados acordos após a contratação do trabalhador para evitarem conflitos posteriormente. A Direcção da Administração Pública, Trabalho e Segurança Social realizou recentemente, no Cuito, um encontro provincial com empregadores, durante o qual foram analisados o regime jurídico da negociação colectiva, os acordos de trabalho e sua importância para a paz social e questões relacionadas com os qualificadores ocupacionais nas empresas por serem um importante instrumento de gestão de recursos humanos e de resolução de conflitos laborais.
A Inspecção-Geral do Trabalho recebeu queixas de incumprimentos de obrigações por parte de várias empresas, o que fez com que no encontro os empregadores fossem alertados para a importância de se respeitarem com os contratos de trabalho.
O inspector-adjunto salientou na reunião a importância dos responsáveis das empresas e os trabalhadores privilegiarem o diálogo, como forma de resolver conflitos laborais.
“As empresas apenas crescem com empregadores capazes e com condições para o seu desenvolvimento”, disse.
A falta de diálogo e de condições de trabalho, bem como o atraso no pagamento dos salários, acentuou, são as principais causas dos conflitos laborais.

Tempo

Multimédia