Províncias

Camponeses aderem ao programa Mosap

José Chaves | Andulo

Os agricultores do município do Andulo foram aconselhados ontem pelas autoridades a aderirem à segunda fase do Programa de Desenvolvimento da Agricultura Familiar e Comercialização de Produtos do Campo para as Grandes Superfícies Comerciais (Mosap II), que visa combater à pobreza através do aumento da produção agrícola.

Camponeses da região beneficiam de apoios de organizações
Fotografia: Dombele Bernardo | Edições Novembro

Financiado pelo Banco Mundial, o programa está orçado em mais de 43 milhões de dólares e vai beneficiar 50 mil famílias camponesas. Com duração de cinco anos, o programa, além do município do Andulo, contempla igualmente agricultores do Camacupa, Chitembo, Catabola, Chinguar Nharêa e Cuito.
A iniciativa visa aumentar a produtividade dos produtos agrícolas de pequena escala e a sua venda nos centros comerciais do país e melhorar a gestão técnica dos lavradores. Prevê ainda a construção de infra-estruturas para o armazenamento dos produtos, formação dos lavradores associados em Associações e Cooperativas, através das escolas do campo.
Esta nova fase do programa substitui o Mosap I, que foi criado na perspectiva de melhorar a segurança alimentar e reduzir a pobreza rural. O desenvolvimento da fase anterior do projecto no Bié permitiu apoiar 31 técnicos da Estação de Desenvolvimento Agrário (EDA) e formar 162 Associações de Camponeses, 74 em Agrotécnica nas culturas de milho, feijão e batata-rena, 61 facilitadores de escola do campo, 17 alfabetizadores e 29 Cooperativas Agrícolas.
O programa permitiu também financiar 88 sub-projectos, sendo 33 de mecanização, 30 de tracção animal, 25 moageiras e 137 toneladas de fertilizantes, que beneficiaram 4.342 pequenos produtores.
A província do Bié possui terras férteis e recursos hídricos que permitem o cultivo de vários produtos.

Tempo

Multimédia