Províncias

Capital da província tem mais salas de aula

Delfina Victorino | Cuito

  Ao todo, 1.400 alunos, da cidade do Cuito, da iniciação à 6ª classe, dispõem, desde ontem, de uma escola reabilitada e ampliada, no âmbito dos esforços das autoridades locais para melhorar das condições do ensino e aprendizagem.

  Ao todo, 1.400 alunos, da cidade do Cuito, da iniciação à 6ª classe, dispõem, desde ontem, de uma escola reabilitada e ampliada, no âmbito dos esforços das autoridades locais para melhorar das condições do ensino e aprendizagem.
A escola, com nove salas, três das quais construídas com materiais pré-fabricados, tem capacidade para 50 alunos em cada uma delas.
O governador da província prometeu envidar esforços para a escola vir a ser abastecida ininterruptamente de energia eléctrica e referiu que o estabelecimento deve incluir o 2º ciclo para diminuir o número de crianças fora do sistema escolar.
Boavida Neto disse que “a escola nº 48 tem grande significado na história” da cidade pelo papel que teve no conflito armado, “na protecção dos habitantes”.
O governador sublinhou a importância de estabelecer uma relação entre professores e encarregados de educação para garantir um ensino de qualidade.
 “O processo docente-educativo depende muito da inter relação em que os vários integrantes devem corresponder às melhores expectativas”, disse. O processo, concebido no quadro do programa de oferta e melhoria dos serviços básicos à população, contempla o alargamento e a melhoria da rede escolar.
O governo da província, garantiu Boavida Neto, vai continuar a trabalhar para aumentar as condições pedagógicas, diminuir o número de crianças a estudar por baixo de árvores e a realizar acções para reduzir as doenças causada pelas chuvas.
Ampliar e reabilitar mais escolas para facilitar o processo de ensino e aprendizagem, em colaboração com as entidades administrativas, é uma das apostas, para breve, do sector da Educação.
Os alunos, numa nota de agradecimento, recordaram que estudar em condições inadequadas é o principal motivo para a elevada taxa de abandono escolar, pelo que prometeram cuidar da escola para possibilitar a inserção, nos próximos anos, de mais alunos. As crianças disseram que vão ajudar a proteger a escola, mas pediram a colaboração das autoridades.

Tempo

Multimédia