Províncias

Carteiras escolares fabricadas no Cuito

Matias da Costa | Cuito

A fábrica de metalurgia SAFRI-METAL, da cidade do Cuito, no Bié, tem capacidade para fabricar diariamente 400 carteiras escolares, números que ajudam a minimizar a procura no mercado.

A fábrica de metalurgia SAFRI-METAL, da cidade do Cuito, no Bié, tem capacidade para fabricar diariamente 400 carteiras escolares, números que ajudam a minimizar a procura no mercado.
O chefe de produção da fábrica, Valter Vieira, acrescentou que, para além da produção de carteiras, fabrica também diariamente 500 chapas de zinco.
A cidade do Cuito é abastecida a partir das províncias do Huambo, Kuando-Kubango, Moxico e Benguela, no que toca aos materiais de escritório, escolares e chapas de zinco, segundo Valter Vieira.
Com três meses de funcionamento, a SAFRI-METAL, disse o seu gerente, perspectiva num futuro breve fabricar camas hospitalares, mobiliário de escritório e doméstico, para atender as necessidades da população das províncias do Centro e Sul do país.
 Valter Vieira disse que a falta de energia pública na fábrica tem sido um dos motivos que condicionam o índice da produtividade, um problema que fica solucionado nos próximos meses, com a energia da barragem do Gove.
Presentemente a fábrica funciona com um gerador de 1500 KVA, que, por vezes, não produz energia suficiente para as máquinas.
A SAFRI-METAL, durante os últimos três meses de funcionamento, já produziu cinco mil chapas de zinco e quatro mil carteiras escolares. Tem 20 trabalhadores a tempo inteiro. As carteiras fabricadas pela SAFRI-METAL têm contribuído para melhorar o processo de ensino e aprendizagem.

Tempo

Multimédia