Províncias

Casas destruídas por ventos fortes

Afonso Belo*| Cuito

Chuvas, acompanhadas de fortes ventos, destruíram, no fim-de-semana, no município da Camacupa, 42 habitações, cinco escolas e uma pastelaria.
Os bairros Campos, Santo Mista, Santa Teresa e da Montanha foram os mais afectados. O administrador municipal, Afonso Assafe disse, ao Jornal de Angola, que a administração está a envidar esforços para apoiar as famílias sinistradas.

A foto documenta parte dos estragos causados pelas chuvas durante o ano passado em quase todas as províncias do país
Fotografia: Jornal de Angola

Chuvas, acompanhadas de fortes ventos, destruíram, no fim-de-semana, no município da Camacupa, 42 habitações, cinco escolas e uma pastelaria.
Os bairros Campos, Santo Mista, Santa Teresa e da Montanha foram os mais afectados. O administrador municipal, Afonso Assafe disse, ao Jornal de Angola, que a administração está a envidar esforços para apoiar as famílias sinistradas.

Novas infra-estruturas

Um centro de saúde para 43 doentes, uma central eléctrica ampliada e uma escola do primeiro ciclo foram inaugurados, no fim-de-semana, no Bié.
O centro de saúde, na comuna de Calussinaga, no município do Andulo, dispõe de banco de urgências, laboratório de análises, farmácia, consultas de pediatria, medicina, cirurgia, ortopedia, puericultura, programa alargado de vacinação, serviços de pré e pós parto.
O estabelecimento tem também duas salas de partos equipadas com meios modernos e salas para enfermeiros e está equipado com dois grupos geradores de 100 e 30 Kvas.Além disso, dispõe de uma ambulância apetrechada com meios modernos.
O empreendimento, construído pelo Instituto Português de Medicina Preventiva (IPMP), com financiamento da companhia petrolífera "ESSO"-bloco 14, orçou em cerca de um milhão de dólares.
A central eléctrica, na mesma comuna, foi ampliada, com a aquisição de novo grupo gerador, o que totaliza 110 KVAs, que permite que distribuição de energia chegue a 86 casas em vez das 39 anteriores.
A ampliação da rede eléctrica e o melhoramento no fornecimento de energia eléctrica na comuna de Calussinga custaram ao governo provincial cerca de 25 milhões de kwanzas.
O trabalho de ampliação da rede eléctrica foi executado no quadro do programa de gestão municipal, que prevê a melhoria e aumento dos serviços sociais básicos à população.

Escola primária

A escola do primeiro ciclo, no bairro Popular, arredores da cidade do Cuito, foi construída pela Associação de Naturais e Amigos do Bié (ANABIÈ), com financiamento da Sonangol Pesquisa e Produção e seus associados, BP, Esso, Statiol, Total  e Maraton. A escola, com capacidade para mais de três mil alunos em dois turnos, tem 12 salas de aula e uma cantina. É servida por um gerador de 30 KVAs.  O abastecimento de água potável é assegurado por um sistema de bombeamento, com dois tanques de água, um, subterrâneo, com capacidade para dez mil litros e o outro, de cinco mil litros.
                               
* Com Angop

Tempo

Multimédia