Províncias

Casos de gravidez na adolescência tendem a aumentar

Os elevados casos de gravidez na adolescência estão a preocupar as autoridades sanitárias do Bié, segundo o director provincial da Saúde, em declarações à imprensa, ontem, na cidade do Cuito.

João Campos Cacungula referiu que a gravidez na adolescência representa sérios riscos de vida para as gestantes e para o bebé durante o trabalho de parto.
O director provincial da Saúde sublinhou que entre as mulheres submetidas a trabalhos de parto, ao longo do primeiro semestre deste ano, 339 foram adolescentes, que se debateram com enormes complicações, fruto da imaturidade dos seus órgãos reprodutores. “Este quadro não nos satisfaz, tendo responsabilizado os pais e encarregados de educação por não dialogarem de forma permanente com os filhos e daí a razão dos casos de gravidez precoce que se vão registando nos hospitais”, desabafou.
Outra preocupação é a falta de cultura de muitas mulheres, que se furtam às consultas pré-natais, preferindo fazer os partos em casa. Estes factores, referiu, têm estado a dificultar a efectivação de um controlo rigoroso das taxas de natalidade e de mortalidade materno-infantil a nível da região, além de representar vários riscos para a vida das mães e dos bebés, principalmente na periferia onde os partos são feitos de forma precária. O sector tem estado a promover campanhas de sensibilização junto das comunidades sobre a importância do planeamento familiar e da saúde da mulher e dos filhos.

Tempo

Multimédia