Províncias

Centenas de professores abandonam os estudantes

João Constantino | Cuito

Pelo menos 721 professores do ensino não-universitário deixaram de cumprir, há algum tempo, as suas actividades laborais nas escolas da província do Bié, denunciou segunda-feira, no Cuito, o governador Álvaro de Boavida Neto.

Autoridades estão preocupadas com a situação que se regista no ensino não-universitário
Fotografia: Jornal de Angola

Num encontro com os administradores municipais, chefes de repartição da Educação, directores de escolas e professores, o governador lamentou o facto de, num universo de 15.231 docentes, detectar-se que 721 abandonaram os seus locais de trabalho.
Álvaro de Boavida Neto manifestou-se insatisfeito com os directores de escolas que fazem cobertura dos professores que não trabalham mas continuam a receber mensalmente os salários. O governador do Bié alertou que os professores devem regressar aos locais de trabalho o mais rápido possível, sob o risco de perderem os empregos.
Além destas preocupações, na reunião com o governador discutiu-se a questão da reconversão de carreiras dos quadros do sector.
O director provincial da Educação no Bié, Basílio Caetano, informou que a província controla mais de 700 mil alunos, estando outros 60 mil a aguardar enquadramento no sector.
Basílio Caetano salientou que mais de duas mil crianças continuam a estudar em condições precárias, com destaque para centenas que assistem aulas ao ar livre.
Para inverter este quadro, o director provincial da Educação assegurou que constitui preocupação do governo e parceiros sociais a construção de mais escolas nos próximos tempos, principalmente nas zonas rurais.

Tempo

Multimédia