Províncias

Centro Cultural abre em Nharêa

José Chaves| Nharêa e Delfina Victorino| Cuito

O Centro Cultural de Nharêa, cujas obras custaram 51 milhões de kwanzas, foi inaugurado pelo governador provincial do Bié, Boavida Neto.

Sede administrativa de Nharêa onde são traçadas as estratégias para melhorar a qualidade de vida da população e a imagem da região
Fotografia: José Chaves| Nharea

O centro conta com áreas de lazer, sala de conferências com capacidade para 300 pessoas, biblioteca, sala de leitura, cybercafé, camarote, quatro casas de banho, esplanada, cozinha, varanda, um campo multiuso, além de gabinetes para os responsáveis.
O governador Boavida Neto inaugurou ainda o novo edifício para consultas externas do Hospital Municipal de Nharêa, localidade que comemorou, a 15 de Agosto, o 48º aniversário da sua elevação à categoria de município.
O município, localizado a 176 quilómetros a Nordeste do Cuito, capital da província, tem uma superfície de 7.607 quilómetros quadrados e uma população estimada em 300 mil habitantes, maioritariamente camponeses.
A administradora municipal de Nharêa, Maria Chicapa, disse, durante o acto de inauguração, que o Centro Cultural, construído no quadro do Programa de Investimentos Públicos (PIP), abre mais espaços à juventude para ocupação dos seus tempos livres. “A juventude de Nharêa”, afirmou o governador Boavida Neto, “tem agora mais um espaço onde pode debater questões culturais, incluindo as ligadas à ética e à moral”.
Os habitantes do município de Nharêa passam a contar, igualmente, com os serviços melhorados de saúde, graças à reabilitação, ampliação e apetrechamento do Hospital Municipal, cujas obras custaram 11 milhões de kwanzas.
O novo edifício para as consultas externas dispõe de serviços de medicina interna, pediatria, laboratório de análises clínicas, área do Programa Alargado de Vacinação (PAV) e sala de puericultura.
O Hospital Municipal de Nharêa tem capacidade para internar 60 doentes. A unidade dispõe ainda de serviços de obstetrícia, ginecologia e farmácia e atende, diariamente, entre 30 e 40 doentes, na sua maioria com malária, doenças diarreicas agudas, febre tifóide e infecções urinárias.

Saneamento básico


A administração municipal do Cuito, capital do Bié, tem em carteira um projecto de expansão dos serviços de saneamento básico.
O administrador do Cuito, Avis Agostinho Vieira, disse que actualmente os serviços de limpeza e de saneamento básico são terciarizados.  O vice-governador do Bié para Área Técnica e Infra-estruturas, José Fernando Tchatuvela, referiu que tem sido feita uma avaliação aos trabalhos prestados pelas operadoras de limpeza, em colaboração com a equipa de fiscalização da administração municipal.
Em relação aos resíduos sólidos, o governante sublinhou que periodicamente são feitos balanços para medir o nível de eficiência dos trabalhos executados pelas empresas ligadas à recolha e gestão do lixo.

Tempo

Multimédia