Províncias

Cidade do Cuito sem luz há meses

Delfina Vitorino | Cuito

A cidade do Cuito, capital da província do Bié, está sem energia eléctrica há cerca de dois meses e meio, devido a um problema no grupo gerador, informou ontem o administrador municipal.

Iluminação pública é uma das prioridades do programa de luta contra a pobreza
Fotografia: Kindala Manuel

A cidade do Cuito, capital da província do Bié, está sem energia eléctrica há cerca de dois meses e meio, devido a um problema no grupo gerador, informou ontem o administrador municipal, Américo Moisés Capapelo Cachipaco.
Em declarações ao Jornal de Angola, Américo Cachipaco disse que a avaria foi observada no cabo de transportação do novo grupo de geradores que se encontra em Kaluapanda, referindo que técnicos ligados ao sector local da Empresa Nacional de Energia (ENE) encontram-se já a trabalhar de forma intensiva para restabelecer a iluminação na cidade.
O administrador pediu calma à população, que se tem manifestado muito impaciente, garantindo que muito em breve voltam a ter nos seus domicílios a luz eléctrica.
Entretanto, reconheceu que a falta de iluminação pública é uma das principais causas para o aumento da criminalidade na cidade, pelo que solicitou o aumento de agentes da ordem pública para patrulhar as ruas.
Américo Cachipaco referiu que a iluminação pública é uma das prioridades do programa de luta contra a pobreza, levada a cabo pela
Administração Municipal do Cuito, a par do abastecimento de água potável, saneamento básico e saúde.
A educação tem, de acordo com o responsável, maior prioridade, “porque é o sector que consome a maior parte do nosso orçamento anualmente, cujo valor é destinado para a construção de mais escolas”.
“Continuar a formar o homem para melhor gestão do país é uma aposta do Executivo dirigido pelo Presidente José Eduardo Dos Santos”, disse.


Ravinas preocupam

O alastramento das ravinas no centro da cidade do Cuito, que já afectou algumas residências e estradas, constitui uma preocupação da administração local.
De acordo com Américo Cachipaco, a Administração Municipal, em colaboração com o Governo Provincial, está a fazer um trabalho paliativo para minimizar a preocupação e problemas dos moradores que residem nas localidades de Cangangawe e Chissindo, mais afectadas pelas ravinas.
“É um trabalho que está sob a alçada do Executivo. Nós estamos
apenas a minimizar a situação”, disse. O administrador municipal garantiu que existe um estudo de viabilidade para colocar em prática um programa que prevê a criação de espaços verdes na cidade do Cuito, a fim de melhorar a imagem da cidade e combinar com a iluminação pública, que muito em breve se faz presente.  A par disso, informou, a cidade vai beneficiar, ainda este ano, de latrinas públicas, sendo que a administração já contratou uma empresa para a instalação das mesmas.

Tempo

Multimédia