Províncias

Circuncisão provoca abandono escolar

Mais de 200 alunos das escolas do I ciclo do ensino secundário, da comuna de Cassumbi, município do Andulo, província do Bié, abandonaram as aulas para serem circuncisadas de modo tradicional.

Fotografia: DR

A informação foi avançada  à Angop, pelo coordenador comunal da Educação de Cassumbi, Judião Albino, que explicou a prática da circuncisão tradicional decorre no tempo de cacimbo e o ritual dura três meses. Segundo o responsável, é hábito os pais e outros encarregados de educação na época de frio, levarem as crianças à circuncisão tradicional.
Para minimizar a situação, Judião Albino deu a conhecer que as autoridades da comuna têm sensibilizado as famílias, para evitarem esta prática durante o período normal das aulas, para não prejudicar o processo académico
dos menores.Por sua vez, o regedor municipal do Andulo, Bernardo Nicolau, reprovou a prática da circuncisão tradicional, principalmente,
no período de aulas.
 A psicóloga Raidar Contreiras disse, que a prática da circuncisão faz parte da cultura de muitos povos africanos, dignifica o homem
e simboliza a masculinidade.

Tempo

Multimédia