Províncias

Concessão de créditos agrícolas permite diversificar a produção

Afonso Belo e Matias da Costa | Cuito

A concessão de créditos de campanha aos camponeses do Bié organizados em cooperativas e associações tem permitido o aumento e a diversificação dos produtos, disse, ontem, no Cuito, o presidente da União Nacional dos Camponeses (UNAC) na província.

Os camponeses associados beneficiaram de toneladas de fertilizantes e sementes
Fotografia: Nilo Mateus | Cuito

A concessão de créditos de campanha aos camponeses do Bié organizados em cooperativas e associações tem permitido o aumento e a diversificação dos produtos, disse, ontem, no Cuito, o presidente da União Nacional dos Camponeses (UNAC) na província.
O desenvolvimento do programa de créditos, salientou Mariano Sassoma, pemitiu a cada beneficiário duplicar a área de cultivo e, consequentemente, a quantidade dos produtos, cuja comercialização permite reembolsar o crédito e acumular o remanescente.
A melhoria das condições de vida e da dieta alimentar das populações das zonas rurais, referiu, é outra das benesses que os camponeses conseguiram com os créditos. Na globalidade, os bancos financiadores do Crédito de Campanha - Poupança e Crédito e Sol - disponibilizaram mais de 300 milhões de kwanzas a 50 cooperativas e associações de camponeses de todos os municípios da província.
Desde a sua execução, no Bié, em Outubro de 2010, disse Mariano Sassoma, os valores do crédito foram revertidos em sementes diversas, fertilizantes, meios de produção, animais para tracção e de reprodução. Além disso, os camponeses associados beneficiaram de 1.313 toneladas de fertilizantes, 2.570 latas de sementes hortícolas, 180 motobombas, 398 pulverizadores, 428 charruas, 303 juntas de gado de tracção e 102 caprinos para reprodução. No mesmo período, foram preparados cerca de 212 hectares de forma mecanizada, 1.515 com o gado de tracção e 5.222 manualmente.
 
Redução da delinquência
 
O director provincial da Juventude e Desportos garantiu, no Cuito, que o programa desenvolvido pelo Executivo para a concessão do Crédito Jovem tem diminuído a delinquência juvenil no Bié.
 “Desde o início deste processo, muitos jovens foram inseridos em 42 projectos, beneficiando do crédito”, frisou Carlos da Silva
Os projectos financiados, disse, foram de prestação de serviços, agricultura e construção civil.
O programa também contemplou jovens do Andulo, Camacupa e Chinguar.
Carlos da Silva assegurou que, no âmbito do Programa Crédito Jovem, decorre no Banco de Poupança e Credito o processo de análise de 55 projectos de várias associações juvenis.
A comissão provincial, criada para a avaliação dos projectos, disse, está a analisar outros programas que, em breve, são remetidos à apreciação do banco.

Tempo

Multimédia