Províncias

Condições de habitabilidade melhoram

Matias da Costa | Cuito

A leprosaria do Bié, na localidade de “São José”, conta com 17 casas, reabilitadas e mobiladas pela direcção provincial do Ministério da Assistência e Reinserção Social (Minars), revelou quinta-feira à imprensa a directora da Instituição, Angélica Gonçalves.

A Direcção Provincial da Assistência e Reinserção Social assiste dezenas de pessoas com lepra com bens de primeira necessidade
Fotografia: Jornal de Angola

A leprosaria do Bié, na localidade de “São José”, conta com 17 casas, reabilitadas e mobiladas pela direcção provincial do Ministério da Assistência e Reinserção Social (Minars), revelou quinta-feira à imprensa a directora da Instituição, Angélica Gonçalves.
Angélica Gonçalves afirmou que a instituição controla 45 pessoas com lepra, que recebem assistência médica e alimentar, bem como participam em actividades recreativas,  culturais e sociais.
A assistência médica na leprosaria do Bié também conheceu melhorias, graças à construção do posto médico na comunidade, que tem, de forma contínua, prestado cuidados de saúde.

Novos casos

O gabinete de controlo de lepra e tuberculose no Cuito diagnosticou, ao longo do primeiro trimestre, nove pessoas com sintomas da doença, das quais sete foram curadas.
Isaías Lemos, supervisor do programa de combate de endemias, disse que a redução dos casos de lepra se deve, em princípio, à campanha de esclarecimento sobre a manifestação e transmissão da doença. A população está melhor informada sobre a doença e conhece os trâmites a seguir para o seu tratamento, acrescentou.
 O supervisor informou que aos pacientes que se apresentaram com sintomas da doença foram diagnosticados na sua maioria lepra multibacilar, que tem o tratamento aproximado de um ano.  A direcção provincial da Saúde aposta na expansão dos serviços e na admissão de quadros para baixar os níveis de mortalidade na região, onde a malária consta entre as doenças mais frequentes.

Tempo

Multimédia