Províncias

Construção de latrinas em zonas rurais do Bié

Delfina Vitorino | Cuito

As doenças diarreicas agudas no seio das crianças estão a reduzir, nos últimos anos, com a construção de latrinas em zonas rurais da província do Bié, segundo a chefe de missão da Organização Não Governamental da República Checa “People in Need”, Cristina Santos.

Fotografia: Arquivo JA

Durante o ano transacto, acrescentou, a Organização Não Governamental construiu 3.500 latrinas, em oito dos nove municípios do Bié, no âmbito do programa “Água e saneamento”.
A chefe da missão da “People In Need” no Bié disse que o objectivo principal da construção de latrinas é a redução da mortalidade infantil. Cristina Santos lembrou que a o Organização Não Governamental da República Checa opera nos municípios do Cuito, Cuemba, Nharea, Chitembo, Cunhinga, Andulo, Camacupa e Catabola.
No município do Chinguar, sublinhou, não foram construídas latrinas pelo facto de nele operarem outras organizações, que realizam trabalhos em diversos sectores. De acordo com a responsável da ONG da República Checa, foi realizado um trabalho de investigação que comprova a escassez de latrinas na província do Bié. Em relação à saúde comunitária, disse que, nos últimos anos, a “People in Need” trabalha intensamente no combate à má nutrição aguda, numa parceria com agentes comunitários distribuídos em oito municípios do Bié. “Durante os estudos realizados pela organização, foi detectado a falta de trabalho relacionado com o género e fortalecimento da sociedade civil”, disse Cristina Santos.
Segundo a responsável, os sectores da agricultura, de água e saneamento, género e sociedade civil, bem como da educação e saúde comunitária, são alguns em que a Organização Não Governamental “People in Need” actua no Bié.
Por outro lado, a construção do novo hospital regional no município do Cuemba, 164 quilómetros a leste do Cuito, província do Bié, vai contribuir para a melhoria da assistência médico medicamentosa às populações das províncias do Bié, Moxico, Lunda Sul e Malanje. O hospital regional do Cuemba tem capacidade para 150 camas e vai prestar serviços nas áreas de maternidade, pediatria, raio X, hemodiálise, medicina, oftalmologia, serviços de testes de VIH/Sida e aconselhamento, além de uma área para tratamento da tuberculose.

Tempo

Multimédia