Províncias

Cursos técnicos podem ser extintos

Delfina Victorino | Cuito

O curso técnico de engenharia e recursos hídricos ministrado na Escola Superior Politécnica do Bié corre o risco de ser extinguido por falta de docentes e condições financeiras para a continuidade de cooperação com uma Universidade da Argentina.

Estudantes da Escola Politécnica têm carência de professores
Fotografia: Arimateia Baptista | Edições Novembro

O facto foi anunciado  pela ministra do Ensino Superior e Tecnologias de Inovação, Maria do Rosário Bragança, durante a visita feita  ao Cuito, capital da província.
A titular da pasta do Ensino Superior que no Bié avaliou as unidades orgânicas ligadas ao sector disse que se vai trabalhar em parceria com o Governo local no sentido de se elaborar um plano sobre os reais problemas que estas enfrentam.
A ministra Maria Bragança disse ser necessário procurar “identificar as dificuldades para evitar que se cometa as mesmas falhas que conduziram as coisas para o momento actual”.  A ministra disse que a melhoria da qualidade de ensino é um processo longo tendo em conta o equilíbrio das necessidades dos jovens em assegurar a sua formação e com a oferta de condições dignas para o efeito.
“O grande desafio não é apenas do Ministério do Ensino Superior e do Governo, mas de todos actores ligado ao sector, que dentro das suas possibilidades poderão fazer o seu papel, ajudando no desenvolvimento do país através da formação académica”, disse Maria Bragança que explicou que as dificuldades não podem impedir o avanço dos planos traçados para a melhoria do nível da qualidade do processo de formação.
O director da Escola Politécnica do Bié esclareceu que os cursos técnicos possuem características próprias e aliado a isso o facto de requererem valores mais significativos em comparação com os das outras áreas.
Gerson Palhares esclareceu que os cursos de enfermagem, comunicação social e engenharia de recursos hídricos carecem de investimentos avultados. Gerson Palhares explicou que a criação de laboratórios, meios para a identificação das aulas práticas de recursos hídricos, desde as nascente dos rios entre outros, necessitam de suporte financeiro para a sua aplicabilidade.
O  Jornal de Angola apurou que alguns destes cursos, à semelhança do de engenharia e recursos hídricos, podem também ser extinguidos nesta unidade orgânica. No curso de enfermagem os estudantes têm dificuldades para acesso às aulas práticas.

Tempo

Multimédia