Províncias

Defendida inserção justa e equilibrada

Matias da Costa | Cuito

A vice-governadora para a esfera económica e social do Bié, Ana Maria Mvuay, defendeu ontem, na cidade do Cuito, a implementação de programas específicos nas empresas, com vista à inserção justa e equilibrada de profissionais nos postos de trabalho, de forma a dinamizar os técnicos e estimular o desenvolvimento económico na região.

A vice-governadora para a esfera económica e social do Bié, Ana Maria Mvuay, defendeu ontem, na cidade do Cuito, a implementação de programas específicos nas empresas, com vista à inserção justa e equilibrada de profissionais nos postos de trabalho, de forma a dinamizar os técnicos e estimular o desenvolvimento económico na região.
A responsável falava durante a abertura do seminário de formação em técnicas de gestão e emprego, ministrado pela direcção do Emprego e Segurança Social, em parceria com o Instituto de Formação Profissional, dirigido aos gestores de empresas públicas e privadas da província. A governante salientou que os investimentos feitos pelo Executivo nas diferentes formações de quadros profissionais têm sido o itinerário pelo qual os trabalhadores melhoram as suas competências e, por conseguinte, a diversificação de postos de trabalho, aumentando o crescimento da economia local. Daí a necessidade de accionar critérios que acautelam a selecção de quadros.
Ana Maria Mvuay entende que o crescimento económico apenas é possível com uma aposta estratégica na qualificação da população angolana, promovendo assim uma coesão social, e assegurando, deste modo, o desenvolvimento pessoal e uma cidadania plena.
A vice-governadora referiu ainda que a estruturação de uma oferta na formação profissional contínua deve ser o objectivo e a adequação central do governo e das empresas. A directora provincial da Administração Pública, Emprego e Segurança Social, Gertrudes Óscar, sublinhou que o seminário transmite uma ferramenta de conhecimentos para os operadores de empresas no seu exercício laboral.
Gertrudes Óscar afirmou que o organismo que dirige continua a assumir as responsabilidades de incentivo à criação e funcionamento de empregos, através de acções que promovam a competitividade nas empresas, com vista à redução do desemprego. O relatório da Administração Pública, Emprego e Segurança Social, na província do Bié, revela que existem 11 empresas públicas e 199 privadas, que empregam um total de 1.872 trabalhadores nacionais e 227 estrangeiros.

Tempo

Multimédia