Províncias

Defendida protecção máxima aos menores

Delfina Victorino | Cuito

O governador do Bié, Boavida Neto, defendeu a necessidade de assegurar protecção máxima aos direitos da criança.

Um ângilo da cidade do Cuito onde as autoridades locais continuam a envidar esforços para proteger cada vez mais os direitos das crianças
Fotografia: Benjamim Cândido | Lunda Norte

Ao falar no Fórum sobre a Criança, na cidade do Cuito, o governador Provincial disse que a protecção à criança deve incidir na luta contra a exploração infantil e sublinhou que o fundamento da sociedade está centrada na criança.
Boavida Neto lembrou que o Estado angolano colocou sempre a criança como foco principal na política de governação e como  peça-chave no processo político, económico e social. Durante o fórum, o governador Provincial do Bié defendeu a necessidade de todos as instituições aplicarem medidas prio­ritárias na salvaguarda dos direitos da criança.
"A criança é a continuadora dos destinos de uma nação", sublinhou, referindo que para salvaguardar os seus direitos o Governo tem acções que visam oferecer melhores condições de vida às crianças. “Deve-se proteger as crianças de todos os males, para que tenhamos uma sociedade sadia", sublinhou o governador Provincial.
A construção de mais salas de aulas consta  das acções a ser realizadas pelo Governo Provincial do Bié, com vista a reduzir o número de crianças fora do sistema normal de ensino. Boavida Neto reconheceu que o número de estruturas existentes não corresponde ao nível de procura de crianças em idade escolar.
De 2012 a 2014, Bié registou um progresso nos domínios sociais e em  relação ao sector do ensino em 2012 existiam em todas a localidades da província 3.416 salas de aulas e 548.697 alunos. De acordo com Boavida Neto, o Governo da província construiu 4.603 salas de aulas em 2014 para 567.385 alunos em todos os ciclos de ensino. "Face ao aumento da população, o número de escolas vai crescer para responder às expectativas”, sublinhou.

Tempo

Multimédia