Províncias

Deficientes físicos recebem formação

José Chaves | Nharêa

Um total de 230 deficientes de guerra, maioritariamente ex-militares da UNITA, terminou o ano passado em Nharêa, província do Bié, no Centro Móvel de Formação Profissional, cursos de carpintaria, alvenaria e informática, no âmbito do projecto “Vem Comigo”, inserido no Programa Nacional de Reintegração da Pessoa com Deficiência.

As acções formativas em curso no município de Nharêa são financiadas pelo Instituto Nacional de Formação Profissional
Fotografia: Benjamin Cândido|Edições Novembro

Os referidos cursos tiveram a duração de nove meses, segundo o coordenador da região Centro-Sul  da Associação Nacional dos Deficientes de Angola (ANDA), Filipe Muafuca.
Com esta formação, acrescentou, os deficientes têm a oportunidade de inserir-se com mais facilidade na vida social, aproveitando os conhecimentos adquiridos nas mais variadas profissões, com destaque para a carpintaria, serralharia, electricidade, alvenaria, corte e costura e agricultura familiar.
As acções formativas, iniciativa do Ministério da Administração Pública, Emprego e Segurança Social, em parceria com a ANDA, são financiadas pelo Instituto Nacional de Formação Profissional (INAFOP) e pela Fundação Lwini.
O responsável salientou que o objectivo deste projecto é permitir aos beneficiários melhorar cada vez mais as suas condições de vida.
Filipe Muafuca realçou que a ANDA aposta com sucesso num programa de formação profissional dos seus assistidos, para o seu ingresso em cooperativas agrícolas, pesca artesanal e artes e ofícios, para a melhoria do nível de vida dos deficientes. Com o programa, disse, a ANDA pretende nesta fase identificar e criar mecanismos que permitam a reinserção dos beneficiários em cooperativas de produção, assim como a sua integração nos centros de reabilitação física.
Por outrolado, a  expansão do ensino secundário nas comunas do município da Nharêa é  uma das grandes apostas das autoridades locais, garantiu ontem, naquela municipalidade, a administradora.
Maria Lúcia Chicapa disse ao Jornal de Angola que, numa primeira fase, vão ser contempladas as comunas da Gamba, Lubia e Dando, com a construção de novas escolas do II ciclo do ensino secundário,visando absorver o maior número possível de alunos que terminam o I ciclo.
Acrescentou que é prática corrente os alunos que terminam o primeiro ciclo deslocarem-se à sede do município, facto que cria dificuldades para as famílias com poucos recursos.Para inverter o actual quadro, segundo Maria Chicapa, o governo da província perspectiva a construção de escolas, num universo de 100 novas salas, dotadas de bibliotecas, laboratórios, anfiteatros e pavilhões desportivos. A administradora garantiu que tudo está a ser feito para que nos próximos anos haja capacidade suficiente para absorver mais crianças em idade escolar  no sistema normal de ensino.
Para o próximo ano lectivo o município da Nharêa vai inserir no sistema normal de ensino mais de três mil crianças.

Tempo

Multimédia