Províncias

Dezenas de grávidas infectadas pelo vírus

Delfina Victorino | Cuito

Os serviços de testes voluntários e de corte vertical da Sida estão a diagnosticar muitas mulheres grávidas infectadas pelo vírus, na província do Bié, principalmente nos últimos seis meses, em que foram detectados 94 parturientes contaminadas.

Jovens unidos apelam a uma Angola livre da sida que tem enlutado muitas famílias
Fotografia: Santos Pedro

O supervisor provincial do Programa de Luta contra a Sida, Adelino Camato, avançou ontem, no Cuito, que as 94 mulheres pertencem a um grupo de 1.636 gestantes testadas entre Janeiro e Junho em várias unidades sanitárias do Bié.
Adelino Camato avançou que, juntamente com as gestantes, os serviços de testagem examinaram durante o período em análise um total de 1.146 crianças e 8.971 adultos.
Deste número de testados, Adelino Camato lamentou o facto de 12 crianças e 177 adultos serem diagnosticados igualmente com o vírus da Sida, dai a grande preocupação das autoridades sanitárias.
Comparando com dados do ano transacto, o supervisor provincial revelou que a situação registou uma grande subida de casos, tendo em conta que, em 2015, foram detectadas 130 gestantes infectadas pelo vírus. “Hoje, temos mais da metade dos casos do ano anterior”, lamentou.
No ano findo, foi diagnosticado o vírus em 33 menores e em 276 adultos, tendo avançando que as campanhas de sensibilização podem ajudar em grande escala para a redução das estatísticas de casos positivos. Quanto aos medicamentos anti-retrovirais e material para testagem, Adelino Camato assegurou que não há dificuldades na recepção e distribuição dos mesmos em todas a localidades.
Adelino Camato explicou que a constituição dos comités municipais de luta contra a Sida visa principalmente capacitar os líderes associativos na execução das acções ligadas à redução do vírus.
A criação de pontos focais nas instituições públicas e privadas, formação de professores em relação à doença para transmitir informações credíveis sobre a doença são outras metas a alcançar, disse Adelino Camatoque, acrescentando que as acções de diagnóstico em todos os centros médicos municipais, postos e hospitais estão a ser realizados para actualizar e criar novas metas para a redução da doença. A criação periódica de feiras de saúde, formação de pessoal e a montagem de equipas fixas e móveis têm facilitado a adesão dos munícipes aos postos de testes e ajudar no aumento de conhecimento sobre a matéria por parte das pessoas, explicou Adelino Camato.

Reforço do combate


O supervisor provincial de luta contra a Sida assegurou que a implementação de comités municipais e comunais vai ajudar na estabilidade e controlo da doença, principalmente ali onde existe um grande movimento populacional.
Adelino Camato salientou que as instituições visam igualmente garantir a redução do contágio, tendo em conta o trabalho de informação exercida pelos técnicos nas unidades sanitárias. “Outras responsabilidades dos comités têm a ver com a ajuda às organizações vocacionadas para a actividade de combate e redução da doença”, concluiu.

Tempo

Multimédia