Províncias

Diversificar culturas entre as prioridades

José Chaves | Andulo

Agricultores do município do Andulo, 130 quilómetros a norte da cidade do Cuito, província do Bié, vão continuar a apostar na diversificação das culturas, disse ontem o responsável local do Instituto de Desenvolvimento Agrário (IDA).

Camponeses querem garantir auto-suficiência alimentar
Fotografia: Miqueias Machangongo | Edições Novembro

Francisco Sanguali informou à Angop que das lavouras fazem parte a cultura da mandioca, milho, feijão, batata rena, batata-doce, rabanete, ginguba, girassol, café, soja entre outros cereais e hortícolas diversas.
O sector da Agricultura no município do Andulo controla 200 associações de camponeses, sete cooperativas agrícolas e 65 mil famílias camponesas.
Francisco Sanguali anunciou que, para o fortalecimento do sector, os camponeses e a Administração Municipal do Andulo têm, por intermédio da Estação de Desenvolvimento Agrário, apostado na capacitação dos agricultores, nas escolas de campo. O sector da Agricultura no município do Andulo dispõe, no âmbito da campanha agrícola de 2017-2018, de mais de 500 toneladas de fertilizantes, que estão a ser distribuídas aos camponeses, anunciou o chefe de secção do Instituto de Desenvolvimento Agrário.
“Os camponeses não têm dificuldade na aquisição de fertilizantes, pois o Governo está a trabalhar no incentivo da produção, no âmbito do programa de combate à fome e à pobreza nas comunidades, que passa pela facilitação do acesso às sementes, fertilizantes e instrumentos de trabalho”, sublinhou o chefe de secção do Instituto de Desenvolvimento Agrário no município do Andulo.
Francisco Sanguali garantiu, por outro lado, que estão a ser criadas novas estratégias que visam facilitar o escoamento dos produtos agrícolas para os principais centros de consumo da província do Bié e arredores, para que os camponeses da região deixem de ver, muitas vezes sem poder fazer nada, a produção deteriorar-se, por falta de compradores.

Tempo

Multimédia