Províncias

Educação infantil no Bié continua a ser prioridade

Matias da Costa | Cuito

O secretário de Estado do Ensino Superior para a supervisão afirmou quarta-feira, na cidade do Cuito, que a formação infantil e pré-escolar continua a merecer atenção especial do sector, com vista a redimensionar, com bases sólidas, o sistema de ensino em Angola.

Ensino das crianças preocupa autoridades
Fotografia: Jornal de Angola

António Miguel André, que discursava na cerimónia das II jornadas científicas da Escola Superior Pedagógica do Bié (ESPB), disse que o processo de educação, além das famílias, começa na base.
“Não teremos um ensino superior de qualidade se não apostamos na formação pré-escolar”, sublinhou o secretário de Estado, acrescentando que a Escola Superior Pedagógica (ESP) tem a tarefa de formar os formadores para edificar em Angola um ensino credível, da base ao topo.
Realçou as valência da ESPB e disse ter constatado, na vertente do ensino, uma evolução enorme nas práticas de laboratório, com capacidades para que os formandos concluam os estudos sem grandes constrangimentos, dando resposta ao plano nacional de formação de quadros.
O Executivo tem consciência de que precisamos de abertura de novos cursos, novas dinâmicas e é assim que na ESP decorre este ano lectivo a implementação das disciplinas de Biologia, Química e Educação Física, referiu António André.
O vice-governador para o sector técnico e infra-estruturas, José Fernando Tchatuvela, disse, no final do evento, que as realizações das II jornadas mostram que em Angola a pesquisa já é possível.
José Tchatuvela sublinhou que a pesquisa é extremamente importante e estas jornadas elevam o desenvolvimento dos estudantes no Ensino Superior na província, fruto dos conhecimentos que vão adquirindo.
Segundo o vice-governador, o conhecimento deve estar ao alcance de todos e a divulgação de pesquisas serve para o desenvolvimento das comunidades.
O evento decorreu sob o lema “o Desenvolvimento do Ensino Superior em Angola, desafios e perspectivas, colhendo experiências de outras nacionalidades”.

Tempo

Multimédia