Províncias

Escolas construídas de raiz na Gamba começam a funcionar no próximo ano

Delfina Victorino | Cuito

A sede comunal da Gamba e a aldeia do Chiculungo, que distam 42 e 50 quilómetros do coração do município da Nharêa, no Cuito, província do Bié, contam agora cada uma com escolas construídas de raiz para acolher o ensino primário.

Construção de escolas e admissão de professores visa melhorar o processo de ensino e aprendizagem na região
Fotografia: Jornal de Angola

A sede comunal da Gamba e a aldeia do Chiculungo, que distam 42 e 50 quilómetros do coração do município da Nharêa, no Cuito, província do Bié, contam agora cada uma com escolas construídas de raiz para acolher o ensino primário.
O coordenador do sector da Educação na comuna, Adelino Lutiqui, assegurou que as mesmas entram em funcionamento no próximo ano lectivo, o que vai ajudar a diminuir o fluxo de alunos fora do sistema escolar de ensino.
Nesta altura, 3.232 crianças encontram-se fora do sistema normal de ensino, devido à insuficiência de salas de aulas, revelam dados fornecidos por Adelino Litiqui.
A comuna da Gamba possui 66 escolas, que resultam em apenas 98 salas de aulas, boa parte delas construídas com materiais rudimentares. Das 39 que estão em funcionamento, pelo menos 27 necessitam de aumentar o quadro docente de forma urgente.
Com a realização do concurso público, o coordenador da educação na Gamba explicou que 42 professores que daí saírem terão colocação na comuna para suprir as dificuldades. />Em relação aos manuais escolares e à merenda escolar, o responsável afirmou que os alunos do primeiro ciclo de todas as escolas beneficiaram destes programas, desde o princípio do ano.
Actualmente, 17 professores com formação média estão a leccionar nas escolas do primeiro ciclo e ensino secundário na sede comunal da Gamba e nas restantes aldeias. O coordenador, Adelino Lutiqui, realçou que a falta de condições de habitabilidade tem sido o principal problema na permanência dos professores encaminhados para a comuna.
Aquele responsável salientou que a administração local, as autoridades tradicionais e igrejas têm dado o seu contributo para que se diminua o número de alunos que ainda continuam a assistir aulas debaixo de árvores e noutros locais impróprios.
A contribuição das igrejas, segundo ele, prende-se com a disponibilização das capelas para servirem de salas de aulas nos dias úteis.
Neste momento, as 70 aldeias que constituem a comuna da Gamba possuem cada uma escola primária.

Tempo

Multimédia