Províncias

Estrada de Cassumbe em péssimo estado

José Chaves | Cassumbe

Habitantes da comuna de Cassumbe, a 50 quilómetros da sede municipal do Andulo, pediram às autoridades governamentais para que intervenham de forma urgente nas estradas de acesso à localidade, dado o seu estado avançado de degradação.

O mau estado das principais vias de acesso a Cassumbe tem sido um factor inibidor do desenvolvimento e das trocas comerciais
Fotografia: Jornal de Angola

Os munícipes alegam que o mau estado das principais vias de acesso a Cassumbe tem sido um factor inibidor do desenvolvimento da região e o maior motivo para que o escoamento dos produtos do campo para a cidade não seja efectivo.
Os moradores estão preocupados com a situação e pedem para que o Governo Provincial do Bié ponha esta questão na sua lista de prioridades para este ano, uma vez que o mau estado das estradas constitui um factor impeditivo do surgimento de investimentos na região.
Carlos Sachipia disse que os habitantes de Cassumbe são obrigados a percorrer grandes distâncias a pé, tendo em conta que as viaturas não conseguem chegar à localidade, sobretudo no tempo da chuva.
Por falta de escoamento das colheitas, muitas quantidades de produtos agrícolas se perdem, sem que os camponeses e agricultores consigam vendê-los nos centros urbanos. Nem chegam a Chimbamba e às ombalas de Ndadi e Luvalo, onde existem mercados.
João Canjaia disse que o encarecimento dos principais produtos básicos é outra das grandes consequências do mau estado das vias, uma vez que os agentes comerciais têm dificuldades de circulação.
O comércio é quase inexistente na sede comunal e nas aldeias, o que faz com que a população tenha de percorrer 50 ou 70 quilómetros a pé, até ao Andulo, para comprar bens essenciais.
A via entre a sede comunal e a localidade de Chimbamba ou as embalas de Ndadi e Luvalo, também impede a instalação de alguns serviços sociais básicos aos mais de 23 mil habitantes da região, como admitiu o administrador comunal de Cassumbe.
Ernesto Saco disse que há grandes dificuldades para a instalação da sede da administração comunal, escolas, postos de saúde, sistemas de abastecimento de água potável e de energia eléctrica. Os professores e enfermeiros também não aparecem por falta de residências para acomodá-los.
O administrador comunal de Cassumbe, Ernesto Saco, disse que, tendo em conta a importância das vias rodoviárias para o desenvolvimento do país, a reabilitação das estradas deve ser uma das prioridades das autoridades provinciais e centrais. Ernesto Saco informou que o Governo Provincial está a tentar inverter o actual quadro em que se encontram as principais vias de acesso à comuna.
Neste momento, acrescentou, dez casas para funcionários públicos e uma esquadra policial estão a ser construídas em Cassumbe, uma comuna com 92 aldeias e oito ombalas, onde os seus habitantes vivem da agricultura.

Tempo

Multimédia