Províncias

Estudantes suspensos por prática indecorosa

Matias da Costa | Cuito

 Quatro estudantes do 2º e 4º ano do curso de Matemática e Psicologia da escola Superior Pedagógica do Bié foram suspensos, por um período de seis meses, por prática de fraude, disse ontem à imprensa o responsável do Departamento para os Assuntos Académicos desta instituição.

Quatro estudantes do 2º e 4º ano do curso de Matemática e Psicologia da escola Superior Pedagógica do Bié foram suspensos, por um período de seis meses, por prática de fraude, disse ontem à imprensa o responsável do Departamento para os Assuntos Académicos desta instituição.
Rosa Maria do Nascimento explicou que os estudantes foram surpreendidos no momento em que efectuavam a segunda prova parcelar do primeiro semestre. “Eles foram suspensos por violarem o estabelecido no regulamento da Universidade António Agostinho Neto que, no seu artigo 59, proíbe o recurso à consulta de documentação, sem que seja autorizado. É o que podemos chamar de cábula”, disse.
A medida, segundo a responsável, serve de aviso aos demais estudantes a não incorrer neste tipo de prática que em nada abona à boa imagem da instituição e coloca em risco o ensino na província.
“É necessário combatermos esta prática, para que o nosso ensino ganhe credibilidade e os nossos estudantes tenham uma melhor formação, para que possa inserir-se em qualquer sociedade.
Temos de implementar políticas de contenção quanto às práticas de fraude, visando a erradicação das irregularidades que vêm generalizando-se um por pouco por todo o país”, sublinhou.

Tempo

Multimédia