Províncias

Ex-militares recebem apoio social

César André | Andulo

A Associação Nacional dos Deficientes de Angola (ANDA) procedeu recentemente na comuna de Calussinga, município do Andulo, província do Bié, ao lançamento de uma iniciativa de promoção da cidadania e emprego, no âmbito da abertura da 5ª fase do projecto “Vem Comigo”.

Governo e parceiros têm dado vários apoios aos desmobilizados para a sua reintegração
Fotografia: Jornal de Angola

O lançamento do projecto precede o início do curso de formação profissional para os deficientes da comuna, para o qual foram seleccionados 248 elementos para as áreas de carpintaria, sapataria, serralharia e recauchutagem. O representante do Instituto Nacional de Emprego e Formação Profissional do Bié (INEFOP), Manuel Chilulo, disse que um ofício só é rentável para o desenvolvimento do país se for devidamente assimilado dentro dos parâmetros de cada especialidade.
Manuel Chilulo lembrou que um ex-militar deficiente é um ser em pleno gozo dos mesmos direitos de cidadania de outra pessoa, podendo dar o seu contributo ao desenvolvimento social.

Mais empregos

O representante provincial do INEFOP reconheceu o esforço do Executivo na criação de condições de emprego e mostrou-se satisfeito com a existência, em Calussinga, de duas unidades móveis de formação de jovens desempregados, que não tinham possibilidade de se deslocar para o pavilhão de formação de artes e oficio na sede municipal do Andulo.
A administradora comunal de Calussinga, Faustina Mando, agradeceu o gesto da Associação Nacional dos Deficientes de Angola (ANDA) e disse que com a formação profissional os ex-militares deficientes terão oportunidade de ingressar no mercado de trabalho sem nenhuns constrangimentos.  “É preciso acreditar porque ninguém sonhava que a comuna tivesse hoje a oportunidade de receber um programa ambicioso que vai ajudar a vida de muita gente”, sublinhou a administradora.
O presidente da Associação Nacional dos Deficientes de Angola (ANDA), Silva Lopes Etiambulo, referiu que, além de Calussinga, vão ser identificadas outras comunas onde existem ex-militares, para que possam ter acesso à formação profissional.

Tempo

Multimédia