Províncias

Exploração de inertes prejudica ambiente

O chefe da divisão de florestas do Instituto de Desenvolvimento Florestal (IDF) na província do Bié alertou para as consequências nocivas para o meio ambiente que a exploração anárquica de inertes e as queimadas acarretam.

População chamada a denunciar práticas que atentam contra a natureza
Fotografia: João Gomes

Júlio da Costa explicou que o comportamento negativo do homem para com a Natureza, tem implicações nas alterações climáticas e, consequentemente, a morte de diversas espécies de animais.
Por essa razão, considerou preocupante o abate indiscriminado de animais e árvores na província, sobretudo nas zonas rurais, por parte de caçadores e carvoeiros ilegais, e realçou que a acção compromete a reprodução animal e o crescimento das plantas.
Para evitar a progressão desta situação, aconselhou as autoridades tradicionais e a população em geral a colaborarem com aquela instituição, através da denúncia de todas as práticas prejudiciais, para desencorajar os caçadores e os homens que praticam as queimadas.

Divisão florestal


A divisão de florestas do IDF tem realizado palestras, com objectivo de esclarecer as comunidades sobre a importância da biodiversidade e alertar para os problemas que lhe estão associados, como as alterações climáticas, as rápidas mudanças nos diferentes habitats e as consequentes modificações nas taxas de reprodução animal e no crescimento das plantas.

Biodiversidade

A biodiversidade é o termo utilizado para definir a variabilidade de organismos vivos, flora, fauna, fungos macroscópicos e micro-organismos, abrangendo a diversidade de populações de uma espécie e a diversidade de interacções entre espécies e a diversidade de ecossistemas.
 Biodiversidade inclui, assim, a totalidade dos recursos vivos, ou biológicos, e dos recursos genéticos e seus componentes, tendo em conta que a espécie humana depende da biodiversidade para a sua sobrevivência.

Tempo

Multimédia