Províncias

Falta de fiscais dificulta combate à deterioração do meio ambiente

Delfina Victorino | Cuito

A exploração inadequada da fauna e da flora nos nove municípios do Bié preocupa as autoridades da província, afirmou aos jornalistas o chefe de departamento do Instituto de Desenvolvimento Florestal (IDF).

A exploração inadequada da fauna e da flora nos nove municípios do Bié preocupa as autoridades da província, afirmou aos jornalistas o chefe de departamento do Instituto de Desenvolvimento Florestal (IDF).
Rosário Teixeira disse haver necessidade de aumentar o número de fiscais para evitar a deterioração da fauna e da flora, com o abate indiscriminado de árvores e a caça furtiva, que “ganha proporções alarmantes na província”.
Em cada município, defendeu, deve haver no mínimo três fiscais para se melhorar o controlo da fauna e da flora.
No município do Andulo, lamentou, apesar de haver seis fiscais registam-se muitos abates indiscriminados de árvores para carvão.
Rosário Teixeira também referiu que a falta de meios técnicos e de transporte, para apoiar os poucos fiscais, dificulta o combate ao abate indiscriminado de árvores na província. A direcção provincial do Bié do Instituto de Desenvolvimento Florestal continua a sensibilizar a população no sentido de evitar o abate indiscriminado de árvores a caça furtiva. A população também tem sido sensibilizada para participar nas campanhas de plantação de árvores.

Tempo

Multimédia