Províncias

Falta de verbas suspende programa

A insuficiência de verbas alocadas à Educação é a  razão que fez com que o programa “Merenda Escolar”, a partir de produtos locais, fosse suspensa, esclareceu ontem, no Cuito, o director provincial do sector.

Milhares de crianças ficaram privados do programa “Merenda Escolar” por insuficiência de verbas alocadas à Educação
Fotografia: Francisco Puto

Basílio Caetano explicou que, em 2013, o Governo Provincial do Bié  implementou a merenda escolar com produtos locais.
O director provincial aclarou que o arroz, cenoura, batata e outros legumes produzidos localmente serviam para a produção de merenda nas escolas primárias. Basílio Caetano disse que  a merenda tradicional continua, composta por bolachas, frutas e iogurtes, que abrange um total de 325.852 crianças de escolas primárias em localidades mais carentes da província do Bié.
 O director provincial da Educação avançou que, em relação ao ano transacto, foi constatada  falta de merenda escolar para 495.059 alunos, matriculados em classes que vão da iniciação à sexta classe, por falta de verbas.
 No município do Cuito, apenas 628 alunos da escola  primária  n.º 29, a conhecida “José de Cahingues”, da comuna do Cunje, e a instituição escolar de Eyala, no centro administrativo de Ecovongo, beneficiaram do programa em Julho e Novembro do ano findo.
O projecto de merenda escolar com produtos locais foi uma iniciativa da Organização Não-Governamental “People in Need”, da Republica Checa, com o objectivo de recuperar os produtos daquela zona e aumentar a produção dos agricultores.
O director provincial explicou que a ideia é fazer a ligação entre o campo e o mercado, dar a oportunidade aos produtores de se relacionarem com diversas instituições, o que pode motivar  uma maior rentabilidade dos produtos.

Tempo

Multimédia