Províncias

Formados activistas no Bié para luta contra o VIH-Sida

Um total de 50 activistas de luta contra o VIH-Sida, da Associação dos Jovens Unidos na Luta contra a Sida (AJUSIDA), foram capacitados este ano sobre as formas de transmissão e prevenção da enfermidade, na província do Bié, informou ontem, na cidade do Cuito, o coordenador da associação.

Paulino Mango Mucanda disse que com a acção pretende-se reduzir os índices de propagação da pandemia, que tem vitimado milhares de pessoas pelo país, daí a necessidade de instruir mais pessoas para que possam levar a mensagem  a determinados pontos da província.
Numa iniciativa da Direcção Provincial da Saúde na Região, durante as acções formativas, os formandos foram dotados de conhecimentos relacionados com a origem do VIH-Sida, uso do preservativo, formas de transmissão da Sida e de outras infecções de transmissão sexual, sexualidade, cuidados essenciais dos órgãos genitais, entre outros.
A província do Bié testou, de Janeiro a Setembro do presente ano,  nas unidades hospitalares e Centros de Aconselhamento e Testagem Voluntária (CATV), 37.226 pessoas, gestantes, adultos e crianças, com 612 resultados positivos,.
Em 2014 foram testadas na região 63.l 513 pessoas, gestantes, adultos e crianças, dos quais 1.050 com resultados positivos.
Um total de 485, dos 1.265 jovens que solicitaram, este ano, trabalho nos centros de emprego, na província do Bié, foram colocados em diversas instituições privadas na localidade.
O responsável do Instituto Nacional do Emprego e Formação Profissional (INEFOP), Francisco Siku Tchivangula, disse que os candidatos, com idades compreendidas entre os 20 e os 25 anos  procuraram trabalho nos Centros de Emprego do Cuito e Chinguar.
Das solicitações, sublinhou, seis jovens possuem o nível de escolaridade superior, 668 do II Ciclo, 415 do I ciclo do ensino secundário, 159 ensino primário e 17 sem escolaridade.
Este ano, 1.006 jovens formados nos centros de artes e ofícios do INEFOP, nos municípios do Andulo, Camacupa, Cuito e Nharea, estão disponíveis para o mercado de trabalho, aguardando por uma oportunidade.
Os jovens foram capacitados nas especialidades de alvenaria, bate-chapa auto, canalização, carpintaria, corte e costura, culinária, pastelaria, decoração, electricidade de baixa tensão, electrónica, informática, mecânica-auto, pintura auto e serralharia.
Bié possui sete unidades de formação. Desde o início do processo de formação profissional, em 1998, o Instituto Nacional Emprego e Formação Profissional já formou cerca de cinco mil jovens nas especialidades de informática, carpintaria, serralharia, alvenaria, contabilidade, culinária, mecânica-auto, electricidade, electrónica e canalização.

Tempo

Multimédia